Santa Catarina estima que esta temporada de verão será uma das melhores dos últimos anos e vai colocar o setor turístico estadual no patamar de atividade pré-Covid-19. Entre as razões principais para esse otimismo está a segurança frente à pandemia por ser um dos estados que mais vacinaram a população, oferta de atrações turísticas em todas as regiões e pela maior divulgação do Estado no Brasil e exterior, destaca o presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur) Renê Meneses.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

– Temos muitos equipamentos turísticos ao ar livre, onde as pessoas conseguem estar com suas famílias em um ambiente arejado, seguro – observa ele.

Além disso, a demanda maior resulta também de impacto indireto da pior condição sanitária no exterior. A volta de maior incidência de Covid-19 em países da Europa e Estados unidos com o avanço da variante ômicron fez com que muitos brasileiros, principalmente pessoas de alta renda que viajariam ao exterior, optassem por roteiros mais seguros no Brasil. Essa segurança com equipamentos de qualidade é encontrada em Santa Catarina.

O governo do Estado tem acompanhado com mais detalhes os dados do setor turístico, mas o mais evidente é o salto de 100% do setor hoteleiro no Natal frente ao mesmo período de 2019 e da alta ocupação no Réveillon. Diante dessa conjugação de fatos que confirmam maior demanda, a expectativa, segundo Renê Meneses, é de que o setor supere as perdas da pandemia e volte a operar com o nível de atividade de fevereiro de 2020 ou em ritmo ainda maior.

Continua depois da publicidade

Perdas na pandemia

Apesar de o setor turístico já ter contabilizado períodos de alta desde o segundo semestre de 2020, ele ainda está com atividade, em volume, 14,3% abaixo do patamar pré-pandemia, de fevereiro de 2020. Foi isso que mostrou a última Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, referente a outubro de 2021.

As atividades turísticas em Santa Catarina cresceram 5,2% no acumulado dos últimos 12 meses até outubro, em volume, segundo esse levantamento. No ano, o setor avançou 16% e na comparação com outubro do ano passado cresceu 26,8%. A expectativa é de superar a atividade da fase pré-pandemia neste verão. Entre os serviços que mais cresceram em outubro estão os prestados por hotéis, restaurantes, lazer e transportes.

Turismo nacional

O tamanho do impacto negativo causado pela Covid ao setor ainda não foi superado pelo setor em nível nacional apesar de alguns estados terem registrado expressivo crescimento. Também segundo a pesquisa de outubro do IBGE sobre serviços, as atividades turísticas no Brasil, em volume, ainda se encontravam 19,5% abaixo do patamar de fevereiro do ano passado (pré-pandemia), um baque maior que o de SC. Para se ter ideia das restrições da Covid-19, São Paulo, que detém a maior economia do país e é forte no turismo de eventos, é o único estado a registrar saldo negativo do volume de turismo acumulado nos 12 meses até outubro, de -3,5%. O crescimento do setor, no mesmo período, o foi liderado pela Bahia (31,2%), Pernambuco (28,5%) e Goiás (27,6%).

Litoral lidera atrações

O movimento no Natal mostrou que o litoral de SC lidera atrações e movimento de público. Florianópolis foi um dos destinos preferidos no período, com ocupação elevada tanto nos hotéis de praia quanto no Centro da cidade e nos equipamentos de águas termais da região. Uma das mostras de que muitos preferiram comemorar a festa em família nos equipamentos turísticos mesmo foi o movimento na Praia de Canasvieiras, em Florianópolis, com lotação também nos passeios de barco estilo antigo. Para o presidente da Santur, Renê Meneses, foi uma prévia do que será a temporada.

Continua depois da publicidade

Temporada longa ou curta?

Considerando as peculiaridades da pandemia, de que o Carnaval será de 26 de fevereiro a 01 de março e que depois desse período os uruguaios virão para SC, o presidente da Santur, Renê Meneses, prevê que a temporada de 2021-2022 será longa. O setor turístico terá visitantes para atender de forma confortável por três meses, estima ele. Mas essa opinião não é compartilhada pelo presidente da Abrasel-SC, a Associação Brasileira de Bares, Restaurantes e Similares, Raphael Dabdab. Para ele, o forte da temporada será mesmo durante um mês e meio, incluindo o período entre Natal e o início das aulas no Brasil, em 7 de fevereiro. São visões distintas, mas com otimismo em um mercado menos assustado com a pandemia, apesar da variante ômicron.

Receptivo aquecido

Rede hoteleira lotada e passeios em diferentes regiões turísticas. Esse é o perfil do novo turismo desenvolvido em boa parte do Estado, informa a presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav-SC), Conceição Junckes. Ela cita o exemplo de Joinville que está com a rede hoteleira lotada, mas com turistas que são levados para passar o dia nos atrativos da região, como Beto Carreiro, Balneário Camboriú, São Francisco do Sul, Blumenau, Brusque, passeios com o Barco Príncipe pela Baía da Babitonga e também em propriedades rurais no interior de Joinville. Segundo a empresária, são turistas de diversos estados do país conhecendo belezas regionais em toda Santa Catarina.

Curtas

Passeios de balão e os canyons do Sul de SC, agora com atividade privatizada, estão entre as novas atrações do Estado junto à natureza.

Levantamento do governo do Estado apurou que 2021 foi a melhor temporada de turismo de inverno dos últimos cinco anos em SC. A arrecadação de ICMS cresceu 166% frente a registrada no inverno de 2017.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total