nsc
nsc

Formação gratuita

Programa Entra 21 vai abrir 6,6 mil vagas para formar desenvolvedores de softwares

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
14/01/2022 - 12h01
Blumenau, onde nasceu o Entra 21, é um dos principais polos do setor de tecnologia de SC e do país
Blumenau, onde nasceu o Entra 21, é um dos principais polos do setor de tecnologia de SC e do país (Foto: Patrick Rodrigues, NSC, BD)

Diante da falta de profissionais desenvolvedores de softwares – também chamados de programadores de sistemas – em Santa Catarina, no Brasil e no mundo, a Fundação de Amparo à Tecnologia e Inovação de SC (Fapesc), em parceria com a Blusoft e empresas, vai abrir 6,6 mil vagas gratuitas este ano para formação no Programa Entra 21. Serão 300 vagas presenciais, mais 300 on-line síncronas - quando o aluno assiste a aula virtualmente quando ela é ministrada - e mais 6 mil vagas para formação à distância (EaD).

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O presidente da Fapesc, Fábio Zabot Hothausen, explica que a instituição está investindo R$ 2,070 milhões nessa expansão do Entra 21 no Estado. Ela apoia o programa há mais de 15 anos pela qualidade de formação que oferece. O Entra 21 é uma iniciativa do polo tecnológico de Blumenau Blusoft, que já formou mais de 5 mil profissionais com empregabilidade de 70% ou mais. Até o ano passado, eram formados 300 profissionais por ano. O conteúdo do curso inclui as principais linguagens de programação, mais inglês, finanças e outras disciplinas sobre gestão. 

A carreira de desenvolvedor tem despertado atenção não só pela falta de profissionais, mas também porque paga mais do que outros setores. Conta com salário médio em torno de R$ 5 mil e inicial de R$ 2,5 mil. Mas quem trabalha daqui para empresas no exterior pode multiplicar a renda porque um salário de 5 mil dólares, por exemplo, resulta em R$ 27,7 mil. É essa média paga lá fora.

A expansão em 6 mil vagas foca o ensino à distância que será liderado por 18 cidades-polo, onde os alunos de cada região encontrarão com apoio para as aulas e até poderão fazer o curso no local caso não tenham equipamento em casa. As cidades que serão polos do curso, além de Blumenau, são: Florianópolis, São José, Palhoça, Criciúma, Tubarão, Joinville, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Itajaí, Balneário Camboriú, Brusque, Rio do Sul, Lages, Chapecó, Caçador, Joaçaba e Videira.

Segundo a Fapesc, o edital para esse programa deverá ser lançado em 8 de fevereiro e as inscrições serão feitas pelo Blusoft em data que ainda será definida. O Entra 21 fará uma seleção dos candidatos, considerando o perfil de cada um e se tem tempo disponível para fazer o curso que tem 480 horas de duração e vai até outubro. O objetivo é que o máximo de estudantes concluam a formação, mesmo on-line.

- A gente estava querendo fazer essa ampliação dede 2019 para 2020, só que estávamos pensando no modelo. Aí veio a pandemia e acabou acelerando o processo. Todo mundo tinha um pouco de receio com essas formações utilizando as ferramentas on-line, mas com a pandemia, se concluiu que é possível – afirma Holthausen.

Essa será uma das ações da Fapesc para apoiar a formação de desenvolvedores este ano. A outra é um programa ligado às universidades comunitárias, o Devs TI, que prevê formar 1.560 profissionais. Mais iniciativas nos setores público e privado estão acontecendo com o mesmo objetivo.

O empenho para aumentar a formação de trabalhadores na área de tecnologia da informação e comunicação tem o apoio da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). A entidade apurou numa pesquisa em 2021 que até 2023 as empresas específicas de TI no Estado vão abrir mais de 16 mil vagas, das quais 50%, ou seja, 8 mil, serão para programadores. Além disso, empresas de outros setores e o setor público também estão contratando esses profissionais de tecnologia.

- No governo, temos dado atenção especial à formação profissional para o setor de tecnologia. Precisamos criar um ambiente favorável no Estado para capacitar nossos talentos, manter esses talentos aqui e também atrair novos talentos. Se a gente não tiver essas pessoas qualificadas em Santa Catarina, as nossas empresas não conseguirão se manter no Estado e também não vamos conseguir atrair novas empresas dessa área, além de ter falta de profissionais para empresas de outros setores e ao setor público – diz o presidente da Fapesc.

Outras informações sobre o Entra 21 você pode ter no site do programa, o entra21.com.br.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas