nsc
    nsc

    Novas vagas

    Santa Catarina lidera saldo de emprego formal no país até outubro

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    26/11/2020 - 16h11
    Produção têxtil em indústria de Blumenau
    Produção têxtil em indústria de Blumenau (Foto: Lucas Correia, BD)

    Santa Catarina foi o estado que alcançou o maior saldo de empregos formais no período de janeiro a outubro deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Economia. Foram 35.210 novos postos de trabalho no período, com liderança da indústria, que teve saldo de 28.488 novas vagas, 28,15% do total do setor. Em segundo lugar ficou o Paraná com 33.515 novos empregos, seguido pelo Pará, com 32.032. Em outubro, SC teve 116.806 admissões com 83.895 desligamentos, o que resultou em 32.911 novas vagas.

    Todos setores pesquisados tiveram saldo positivo mês passado, no estado. Os serviços lideraram com 12.128 vagas a mais, seguidos pela indústria com 11.256; comércio, 7.891, agropecuária, 1.002; e construção civil, 634.

    Pesquisa mostra que 40% das empresas do litoral vão contratar temporários

    No período de janeiro a outubro, em SC, o setor de serviços registrou o segundo maior saldo positivo, com 10.146 vagas, a construção teve acréscimo de 5.125 e a agropecuária, mais 772. O comércio, com -9.321 vagas, foi o único setor ainda com resultado negativo no saldo em função da pandemia em SC. O estado vem com resultado positivo no emprego formal desde junho e o maior número foi o registrado em outubro.

    Santa Catarina tem a maior expectativa de vida ao nascer do Brasil

    Entre os maiores municípios catarinenses, o ranking de novos postos de trabalho em outubro teve Joinville à frente com 2.756, depois Florianópolis (2.622), Blumenau (2.294), Itajaí (1.652), São José (1.646) e Balneário Camboriú (1.033), Chapecó (795), Criciúma (695) e Lages 504.

    O Brasil registrou mês passado um acréscimo de 394.989 contratações com carteira assinada e, no acumulado de janeiro a outubro, ainda tem saldo negativo de -171.139. No período, o maior saldo positivo é da construção, com 138.409. Na sequência vem a agropecuária com 102.911 e a indústria com 86.991. Seguem com déficit os serviços -268.049 e o comércio -231.245.

    O bom desempenho de SC está ligado principalmente à diversificação da economia, especialmente a indústria, serviços e agronegócio. O auxílio emergencial puxou a demanda nacional e praticamente todos setores industriais avançaram. A maior demanda no exterior também ajudou, especialmente de carnes e produtos para construção.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas