nsc
nsc

Em alta

Serviços crescem 3,4% em agosto no Estado, o segundo melhor resultado do ano

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
14/10/2020 - 11h45 - Atualizada em: 14/10/2020 - 11h47
Passageira na estreia do novo sistema de reconhecimento facial no Aeroporto Internacional de Florianópolis. Setor de transportes ainda não recuperou perdas da pandemia em SC
Passageira na estreia do novo sistema de reconhecimento facial no Aeroporto Internacional de Florianópolis. Setor de transportes ainda não recuperou perdas da pandemia em SC (Foto: Diorgenes Pandini)

O volume de serviços em Santa Catarina fechou agosto com crescimento de 3,4% em relação ao mês anterior na série com ajuste sazonal, de acordo com a pesquisa mensal do IBGE. O resultado ficou acima da média nacional, que teve alta de 2,9% na mesma comparação. Esse foi o segundo melhor desempenho de SC no ano, atrás apenas da alta de 5,1% em junho, e o melhor desde 2011 para o mês de agosto, segundo a série da pesquisa. O fundo do poço foi em abril quando o setor derreteu com queda de 21,8% frente ao mês anterior. Dos oito primeiros meses do ano, apenas três foram positivos. 

Comércio de SC cresce 1,6% em agosto; itens para casa puxam alta

Na comparação com agosto do ano passado, o volume de serviços, no Estado, teve queda de 4%, na média acumulada do ano recuou 7,9% e nos últimos 12 meses caiu 5,6%. A média nacional foi uma queda de 10% frente a agosto do ano passado, redução de 9% no ano e de 5,3% em 12 meses.

O principal destaque positivo de Santa Catarina em agosto foi nos serviços profissionais, administrativos e complementares, que subiram 20,7% frente ao mesmo mês do ano passado e, no ano, é a única com resultado positivo (1,1%). Nessa mesma comparação, os transportes recuaram 2,3%, os serviços de informação e comunicação tiveram queda de 7,9%, o grupo de outros serviços caiu -0,9% e os serviços para as famílias recuaram 34,5% frente ao mesmo mês de 2019.

As atividades turísticas de Santa Catarina cresceram 16,3% em agosto frente a julho e na comparação com o mesmo mês do ano passado tiveram queda de 40,4%. No acumulado do ano, o turismo catarinense recuou 32,3% e mesmo assim foi o segundo melhor resultado do país. A média nacional ficou em -38,8%.

Como muitas atividades dependem da aproximação de pessoas, os serviços são os mais afetados pela pandemia. Alguns setores como educação e eventos estão parados desde o início da crise e outros estão funcionando parcialmente, como hotéis e restaurantes. É em função dessa restrição ao setor hoteleiro e de restaurantes o recuo de 34% no Estado em serviços para as famílias

A atividade plena desse setor que responde pela maior parte do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado – junto com o comércio representa 67% da riqueza gerada em SC – só vai voltar com a vacina contra o novo coronavírus, esperada para ser ministrada em série a partir de março do ano que vem.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas