nsc
nsc

Impactos da inflação e juros

Venda de veículos novos cai 7,9% no ano em SC, mas setor tem receita maior

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
11/07/2022 - 05h00 - Atualizada em: 11/07/2022 - 17h03
José Somensi, Divulgação
Grupo Dimas reinaugurou concessionária Ford em Florianópolis, onde vende carros de alto padrão, entre os quias o novo Mustang (Foto: José Somensi, Divulgação)

Falta de componentes, inflação e juros altos seguem afetando o setor automotivo. No primeiro semestre deste ano, foram vendidos 76.640 veículos em Santa Catarina, o que significa retração de -7,9% frente aos mesmos meses do ano passado, quando os emplacamentos somaram 83.218, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave-SC). Mas como os preços de veículos novos e usados subiram, e as peças também, o setor automotivo como um todo teve alta de 35% na receita nominal este ano até abril, segundo o IBGE.

Receba notícias do DC via Telegram

No primeiro semestre deste ano, os destaques positivos no Estado foram o segmento de motocicletas, que cresceu 22,08% somando vendas de 21.347 e o de ônibus, que avançou 66,56% e chegou a 518 unidades.

Também venderam bem tratores e máquinas agrícolas, que têm dados divulgados com atraso de um mês porque não são emplacados. De janeiro a abril, houve crescimento de 26,60% frente a mesmo período de 2021.

Em junho, as vendas de veículos no Estado somaram 13.529, com recuo de 7,39% frente ao mês anterior, maio (14.609). Em relação ao mesmo mês de 2021, a queda ficou em 5,13%.

Conforme o diretor da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave-SC), Alfredo Breitkopf, as vendas médias do setor nesse mês, por dia, foram melhores do que em janeiro deste ano. Em junho, foram vendidos 644 veículos por dia, 27,3% mais do que a média de janeiro, que ficou em 506 por dia. Com a oferta maior de componentes, a expectativa é de vendas maiores no segundo semestre.

Entre os fatores que afetam as vendas de veículos novos no momento, segundo Marcos Paulo Marcílio, diretor da Fenabrave-SC para a região de Florianópolis, estão os juros mais altos - porque a maioria das vendas é a prazo - e a falta de componentes. 

Conforme dados do Detran-SC obtidos pela Fenabrave, Santa Catarina fechou junho com 5.675.865 veículos. Desse total, 3.154.039 são automóveis, o que corresponde a 55% do total. 

Dos 10 carros mais vendidos em SC, 7 são SUVs; confira o ranking do semestre

Receita geral do setor cresce

Enquanto em número de unidades novas o setor registra queda de vendas em SC, o mesmo não ocorre com a receita do setor. Conforme o diretor Marcos Marcílio, a receita dea venda de novos tem se mantido estável principalmente porque os veículos ficaram mais caros.

- Um ano antes da pandemia, 2018, o ticket médio da compra de automóvel no Brasil era de R$ 65 mil. Tínhamos carros de R$ 59 mil, mas também de R$ 40 mil. Hoje, os dois modelos mais baratos, o Mobi e o Kwid, custam um pouco acima de R$ 60 mil – diz Marcos Marcílio.

CNI revisa projeção de alta do PIB para 1,4% e da indústria, para 0,2%

Segundo o empresário, além dos problemas do momento, foram incorporadas tecnologias e mudanças que tornaram os automóveis mais caros no Brasil. Em 1991, um carro novo popular custava US$ 8 mil (R$ 42 mil). Agora, custa US$ 12 mil (R$ 63 mil).

Com a limitação de oferta e altos preços dos novos, muitos consumidores estão optando por semi-novos ou mais usados. Os dados que mostram o impulso da receita do setor automotivo, incluindo veículos novos, usados e peças, são os da Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE (PMC). 

De janeiro a maior, a receita nominal desse grupo de produtos cresceu 35% frente aos mesmos meses do ano anterior, apurou o instituto. Em abril na comparação com igual mês do ano passado, cresceu 25,9% e, nos últimos 12 meses até abril, a alta alcançou 40,5%.

Produção industrial de SC cresce 1,6% em maio, apura o IBGE

Nova loja conceito

Com o recuo da pandemia, concessionárias do setor retomaram investimentos na abertura de novas lojas ou modernização. O Grupo Dimas, de Florianópolis, que representa a Ford há 37 anos na região, acaba de reinaugurar nova loja da marca no Estreito, em Florianópolis.

Dentro do conceito de loja internacional Ford Signature, o grupo foca em veículos de maior valor médio. Um dos destaques é o novo Mustang, mas também oferece modelos como o Ford Bronco, Maverick e Territory.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas