nsc
    nsc

    Comércio

    Vendas virtuais de grandes redes aceleram; procura por máquina de costura surpreende

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    07/08/2020 - 06h27
    Produção de máscaras amplia vendas de máquinas de costura
    Produção de máscaras amplia vendas de máquinas de costura (Foto: Divulgação)

    Uma das novidades na pandemia foi o aquecimento das vendas virtuais das grandes redes de varejo. Em Santa Catarina, no mês de julho, o segmento registrou alta de 70,4% da receita de ICMS frente ao mesmo mês de 2019. A diretoria da rede Schumann, de Chapecó, ficou surpresa com o crescimento de mais de 1.000% nas vendas de máquinas de costura. Apontou como motivações principais a produção artesanal de máscaras e a adoção de um hobby por estar mais tempo em casa.

    Negócio no mesmo ecossistema: startup de varejo recebe aporte de fundo regional

    A Schumann, que conta com 80 lojas físicas, registrou alta média de 200% nas vendas pela internet durante o período de isolamento social. Entre os itens não tão comuns que chamaram atenção pela alta procura estão também aparelhos de ginástica. O fundador e presidente da rede, André Schumann, revela que outra forma de venda adotada na empresa é pelo Whatsapp, a partir das equipes das lojas físicas. Segundo ele, a pandemia fez muita gente deixar de lado a resistência que tinha para comprar por e-commerce.

    A rede Koerich, da Grande Florianópolis, informa que registrou aumento em todos os canais de vendas desde o início do isolamento social, embora não revele percentuais. A alta incluiu e-commerce, televendas e também as próprias lojas físicas. Eletroeletrônicos, linha branca, produtos e tecnologia e informática lideram as vendas.

    A empresa conta que percebeu uma inversão quanto ao período de compras. Concluiu que famílias anteciparam aquisições que normalmente faziam no período de Natal. De acordo com o presidente da rede, Antonio Koerich, o principal destaque nas vendas até agora são os móveis.

    -Esse é um segmento que, tradicionalmente, temos grande demanda no e-commerce. O que reforça nossa presença neste ambiente é a qualidade dos produtos que oferecemos aos nossos clientes – afirma ele.

    A rede Berlanda, de Curitibanos, registrou crescimento de 172% nas vendas pelos canais digitais durante a pandemia frente ao mesmo período do ano passado. Os produtos mais vendidos online são eletrodomésticos e instrumentos musicais, informa a diretora de Marketing da empresa, Stephany Cardoso. Segundo ela, as vendas nas lojas físicas também estão acima das projeções. Nos últimos dois meses, as vendas gerais cresceram 17%.

    - A pandemia veio de uma certa forma para acelerar nossas estratégias digitais e com isso mudarmos algumas culturas da empresa. Entendemos que, mais do que nunca, o meio digital contribuiu para nosso crescimento, mesmo diante de uma situação de crise – afirmou Stephany Cardoso.

    Apesar da crise, a pandemia tem proporcionado ao setor uma das melhores épocas de vendas, observa a executiva. Muito desse trabalho está sendo feito de forma digital.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas