nsc
nsc

Pandemia

Cinco razões que justificam novas medidas restritivas contra o coronavírus em Blumenau

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
23/06/2020 - 09h49
Número de atendimentos no ambulatório da Vila Germânica bateu recorde (Foto: Patrick Rodrigues)
Número de atendimentos no ambulatório da Vila Germânica bateu recorde (Foto: Patrick Rodrigues)

Há uma chance razoável de que a prefeitura de Blumenau anuncie nesta semana novas medidas restritivas contra a disseminação do novo coronavírus. Os sinais são evidentes. Nos números e também no comportamento das autoridades.

Geralmente acessível a pedidos de entrevista, na tarde de segunda-feira (22) o prefeito Mário Hildebrandt não atendeu jornalistas. Disse que responderia a perguntas na transmissão ao vivo que faz diariamente às 18h45min.

Nos minutos que antecederam a live, permaneceu reunido a portas fechadas com integrantes da equipe. Assessores acreditavam que da sala sairiam novas medidas relacionadas à Covid-19. Entretanto, na meia hora em que permaneceu diante da câmera, ao lado do secretário de Saúde Winnetou Krambeck, o prefeito não trouxe novidades. Mas avisou:

"Podemos em breve ter que tomar decisões que não são do nosso agrado".

O tom da comunicação aos habitantes do município foi de cobrança, em especial por parte de Krambeck:

"É evidente o quanto o blumenauense se desligou da necessidade do cuidado. Simplesmente acharam que estava resolvido. As pessoas não estão cuidando, isso é fato".

Fora dos holofotes, os números apontam para uma escalada veloz da Covid-19 em território blumenauense. Se o governo municipal optar por restringir atividades, sobram razões para justificá-las:

1 - Doentes simultâneos

O número de casos ativos no município disparou 164% em um mês. Já passam de 700 pessoas em tratamento ou sendo monitoradas.

2 - UTIs

A capacidade das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) começa a ser pressionada. O Hospital Santo Antônio tinha vagos apenas quatro leitos para adultos na segunda. No Santa Isabel, leitos de reserva estão sendo instalados. Há escassez de dois medicamentos específicos para pacientes intubados.

3 - Atendimentos

O número de atendimentos no ambulatório montado na Vila Germânica bateu recorde na segunda-feira: foram 154. Na manhã desta terça, o movimento voltou a ser intenso. Mesma tendência observada em ambulatórios e emergências.

4 - Relaxamento

Com o retorno do transporte coletivo, bares, restaurantes, atividades de lazer e academias, há uma sensação geral de que a vida voltou ao normal. É perceptível o relaxamento das pessoas com medidas preventivas básicas. O calor dos últimos dias levou muitos blumenauenses ao litoral, justamente a região em que a pandemia está mais avançada.

5 - Outras cidades

Blumenau não é uma ilha. Itajaí e Balneário Camboriú limitaram o acesso às praias, Florianópolis restringiu o funcionamento de bares e restaurantes à noite e aos fins de semana. O que acontece nessas duas regiões tão próximas é presságio do que o Médio Vale terá de fazer em breve.

Na manhã desta terça-feira (23), a equipe técnica que acompanha a evolução da Covid-19 em Blumenau voltou a se reunir. Parece ser uma questão de quando, e não se, novas medidas serão decretadas.

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas