nsc
    santa

    Pandemia

    Prefeitura avalia novas restrições para frear evolução da Covid-19 em Blumenau

    Alerta foi feito em transmissão online nessa segunda-feira (22)

    23/06/2020 - 05h16 - Atualizada em: 23/06/2020 - 05h56

    Compartilhe

    Bianca
    Por Bianca Bertoli
    Pandemia atinge Blumenau há pouco mais de três meses
    Pandemia atinge Blumenau há pouco mais de três meses
    (Foto: )

    Nesta segunda-feira (22), ao divulgar o maior número de internações em UTIs devido ao novo coronavírus desde o início da pandemia em Blumenau, o prefeito Mário Hildebrandt e o secretário de Saúde, Winnetou Krambeck, sinalizaram que medidas mais restritivas podem ser adotadas em breve. O alerta chega após a cidade registrar aumento de ocupação em leitos hospitalares e no número de infectados (1.530 conforme último boletim municipal). 

    Nesta segunda havia 21 pessoas internadas, entre casos suspeitos e confirmados. É quase metade dos 43 espaços disponíveis para pacientes com Covid-19.

    — Temos visto os desafios de outras cidades e alguns desses desafios se aplicam a nós. Se não houver um controle, podemos em breve tomar decisões que não são do nosso agrado — disse o prefeito.

    Hildebrandt, porém, ressaltou que não há nenhuma definição sobre quais seriam essas ações. A comissão técnica formada para auxiliar no enfrentamento da pandemia, liderada por Krambeck e que tem diversos profissionais da saúde e servidores envolvidos, deve elaborar uma análise nos próximos dias. Com base nela o chefe do executivo blumenauense pode intensificar as medidas de prevenção.

    Algumas prefeituras anunciaram nessa segunda novas restrições ao comércio e outros setores como forma de desacelerar o avanço da doença. No Vale do Itajaí, o município de Itajaí é o mais afetado, com 29 mortes e o primeiro lugar do estado em número de casos. Conforme Hildebrandt, pacientes do litoral já precisaram dos hospitais de Blumenau, sinal de que é preciso olhar para as outras cidades da região ao gerenciar a crise no município.

    Entre os 21 internados em UTI, três aguardam o resultado dos exames para a confirmação do diagnóstico e cinco são de cidades vizinhas.

    “Relaxamento”

    O secretário voltou a enfatizar a falta de cuidados de parte da população. Para os gestores, o relaxamento nos cuidados contribui diretamente para o salto na quantidade de infectados.

    — Observamos um relaxamento geral. As pessoas não estão cuidando e os números são reflexo disso. As pessoas acham que passou, que está tudo resolvido. Esperávamos uma atitude mais ativa do blumenauense, mas isso não aconteceu, infelizmente — lamentou Krambeck.

    Leia também:

    Alta repentina de internações por coronavírus nas UTIs preocupa hospitais no Vale

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas