nsc
nsc

Coronavírus

Como ficam as aulas nas escolas de Blumenau com o retorno ao "gravíssimo"

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
15/02/2021 - 09h48 - Atualizada em: 16/02/2021 - 10h58
Secretaria de Educação afirma que limite de 50% já é cumprido em Blumenau
Secretaria de Educação afirma que limite de 50% já é cumprido em Blumenau (Foto: Patrick Rodrigues)

O retorno do Médio Vale do Itajaí à cor vermelha do mapa de risco do coronavírus não afetará de imediato a volta às aulas em Blumenau. Segundo a secretária de Educação, Patrícia Lueders, as unidades de ensino municipais já atendem à limitação imposta pela regra estadual. Para manter o distanciamento, a maioria das escolas e quase metade das creches dividiram as turmas entre atividades presenciais e online.

> Decreto que libera ocupação máxima nas escolas de SC oficializa o que já valia na prática

> Clique aqui para receber notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Conforme a regra estadual, no estágio gravíssimo as unidades de ensino devem limitar o atendimento a “50% das matrículas ativas por turno”. Patrícia, que também preside a União dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina (Undime), afirma que as escolas reabriram já com menos de 50% da “capacidade”. Ou seja, haveria espaço dentro das unidades para cumprir o distanciamento mínimo exigido.

Com a divisão das turmas, a volta às aulas inclui um desafio inédito para educadores, estudantes e pais: intercalar aulas presenciais e online em um modelo híbrido que envolve vários profissionais no ensino de um mesmo tópico. A questão é complexa e exige muito trabalho de todos os envolvidos.

Na semana em que parte da turma está em sala, a outro está em casa. Em algumas turmas, são duas semanas de atividades online para uma de frequência presencial.

Quem acompanha as aulas pelo computador ou celular não assiste ao professor em sala. Desenvolve atividades na plataforma Google Sala de Aula previamente elaboradas por profissionais da Secretaria de Educação e acompanhadas por 22 tutores. O professor da turma continua sendo o responsável por avaliar o desempenho, mas não precisa preparar as atividades a distância.

A secretária Patricia Lueders acredita que o modelo evita sobrecarga dos professores, porque passam a ter apoio de um núcleo focado no atendimento online dos estudantes.

— O professor vai poder se concentrar no trabalho dele em sala, mas vai continuar acompanhando o que os demais alunos estão fazendo na plataforma — explica.

> Tire todas as dúvidas sobre a volta às aulas em Santa Catarina.

No Ensino Fundamental, 63% das turmas serão atendidas pelo sistema híbrido. Ou seja, quase dois terços das famílias devem prestar atenção às transições dos estudantes entre as atividades propostas na plataforma digital e o atendimento presencial.

Também há os estudantes que não frequentam as aulas presenciais por opção da família. Estes participam apenas das atividades online oferecidas pela Secretaria de Educação. Aqueles que não têm acesso a computador ou celular devem retirar os materiais impressos na escola.

Esses últimos grupos são os que mais preocupam, pelo risco de evasão escolar. Segundo Patricia Lueders, os profissionais da educação deverão dedicar atenção especial nesses casos.

No caso das creches, 48% das turmas precisam intercalar momentos em sala com atividades online. Porém, na Educação Infantil permanece o sistema do ano passado, em que os próprios profissionais das unidades abastecem o sistema online com vídeos e tarefas.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas