nsc
    nsc

    Dados inéditos

    Dados revelam onde os blumenauenses acreditam ter contraído o coronavírus

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    09/08/2020 - 09h04 - Atualizada em: 09/08/2020 - 09h08
    Profissionais da Secretaria de Saúde registram informações fornecidas por blumenauenses
    Profissionais da Secretaria de Saúde registram informações fornecidas por blumenauenses (Foto: Patrick Rodrigues)

    Do trabalho para casa, de casa para o trabalho. Esse é o itinerário provável que o novo coronavírus tem feito para multiplicar-se em Blumenau. Uma vez dentro dos lares, ele passa a infectar os demais moradores, que se tornam potenciais disseminadores para mais locais de trabalho e assim sucessivamente.

    É o que se pode concluir de um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde com mais de 18 mil pacientes atendidos com síndrome gripal desde o dia 21 de maio — quase 10 mil casos tiveram diagnóstico positivo até sábado (8). Cada pessoa atendida respondeu à questão: "Onde você acredita ter contraído esse quadro gripal?"

    Quase metade dos entrevistados (8,6 mil) disseram ter contraído de alguém em casa. Outros 7,3 mil apontaram como provável origem algum contato no trabalho. O comércio foi citado em pouco mais de mil respostas. Cada paciente pôde citar mais de um local.

    > Clique aqui e receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

    Os resultados (veja o gráfico) estão baseados em opiniões, então é preciso analisá-los com cautela. Mas médicos ouvidos pela coluna dizem que eles combinam com o que têm identificado em atendimentos particulares e de planos de saúde: colegas de trabalho e parentes têm sido os principais transmissores da Covid-19 em Blumenau.

    Falta de ventilação

    No consultório, o infectologista Amaury Mielle tem conversado com pacientes e familiares deles para compreender como se dá a transmissão da Covid-19. A maioria dos relatos é de ambientes de trabalho com pouca ventilação, como indústrias e escritórios. Um caso específico chamou atenção.

    — Uma paciente me enviou fotos de uma fábrica no Garcia com janelas fechadas e pouco distanciamento. Era um lugar propício para a contaminação — conta.

    Proteja-se

    Mielle orienta quem precisa trabalhar fora a ser metódico nos cuidados contra o coronavírus. Antes de entrar em casa, limpe bolsas, chaves e celulares, ponha a máscara para lavar de imediato e lave as mãos. Ideal é botar as roupas na lavanderia e tomar banho.

    Evite contato pessoal com vizinhos e só chame prestadores de serviço para o interior da residência em caso de necessidade. Ainda assim, exponha o mínimo de moradores à interação com o profissional. E, claro, deixe para receber convidados quando tudo isso passar.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas