nsc
    nsc

    Solidariedade

    Doações despencam e Blumenau reativa campanha para arrecadar alimentos na pandemia

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    08/04/2021 - 09h21
    Volume de doações caiu de 6 toneladas para 500 quilos por mês
    Volume de doações caiu de 6 toneladas para 500 quilos por mês (Foto: Eraldo Schnaider, Divulgação)

    Despencou o número de doações de alimentos e produtos de limpeza a famílias prejudicadas pela pandemia de Covid-19 em Blumenau. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social chegou a receber 6 toneladas de donativos em abril de 2020. Agora, o volume mensal não passa de 500 quilos. Para reativar a solidariedade do blumenauense, o município ampliará a campanha Blumenau Solidária, incluindo um ponto para receber doações na Central de Vacinação, no Parque Vila Germânica.

    > Receba notícias de Blumenau e região pelo Whatsapp.

    Segundo a secretária Patrícia Sasse, que acaba de assumir o cargo em substituição a Oscar Grotmann Filho, o objetivo é estimular quem tem direito a imunizar-se contra o coronavírus a doar alimentos para compor cestas básicas e kits de higiene a serem entregues às famílias em vulnerabilidade.

    Só quem tem vacina agendada deve ir à Vila Germânica. Nos demais casos, os donativos podem ser entregues na Pró-Família, ao lado do Parque Ramiro Ruediger, das 8h às 17h. Um novo ponto de arrecadação será montado nas próximas semanas.

    Segundo Patrícia, a intenção é mobilizar outra vez a rede de apoio que se formou em 2020, com empresas, entidades, clubes de serviço e pessoas físicas atuando para atender quem precisa. Desde o ano passado, quase 10 mil cestas básicas e 3 mil kits de higiene e limpeza foram entregues.

    — O que aconteceu no ano passado achei incrível. Tivemos experiências de adolescentes dizendo para os pais que não queriam presente de Páscoa para poder doar uma cesta básica. Isso faz a diferença — relembra.

    Auxílios

    A demanda de atendimentos sociais pelo município permanece alta desde o início da pandemia. Houve uma leve diminuição no fim do ano e no início de janeiro, mas com o agravamento da Covid-19 no primeiro trimestre e a interrupção no pagamento do auxílio emergencial do governo federal, o número de famílias atendidas atingiu 11 mil por mês.

    São quase R$ 300 mil do município repassados mensalmente em benefícios como auxílio-alimentação, renda cidadã emergencial, auxílio-natalidade e funeral, entre outros.

    Três abrigos para pessoas em situação de rua seguem ativos, com cerca de 90 moradores em atendimento. Antes da pandemia, havia apenas um abrigo para 50 vagas.

    > Como a pandemia afeta presos idosos ou com deficiência em SC.

    Como doar

    Alimentos não perecíveis, que compõem a cesta básica, ou produtos de higiene e limpeza podem ser entregues, das 8h às 17h, na sede da Pró-Família: Rua Itapiranga, 368, ao lado do Parque Ramiro Ruediger.

    Quem tiver vacina agendada pode levar donativos a um posto de arrecadação que começa a funcionar nesta sexta (9) junto à central de vacinação no Parque Vila Germânica.

    > Veja o mapa do coronavírus em Santa Catarina.

    Nesta semana, os produtos mais necessários para completar as cestas e kits de higiene são: café, óleo, sabão em pó, papel higiênico, champu e detergente.

    Telefone para dúvidas: (47) 3381-6653

    Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas