nsc
nsc

Educação

Escola de Blumenau expõe dinossauros em semana dedicada ao criacionismo

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
21/10/2021 - 15h56 - Atualizada em: 22/10/2021 - 09h29
Réplicas despertam curiosidade de quem passa pela região da Itoupava Seca
Réplicas despertam curiosidade de quem passa pela região da Itoupava Seca (Foto: Patrick Rodrigues)

Dinossauros expostos no jardim do Colégio Adventista, em Blumenau, despertam curiosidade por quem passa pela região da Itoupava Seca nesta semana. As réplicas diante da escola integram uma programação voltada ao criacionismo, a crença de que a vida e o universo são obras divinas. Instituição confessional e privada, a Adventista defende o ensino do que chama de duas versões: o criacionismo e o evolucionismo.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Além dos animais gigantes do lado de fora, a Semana do Criacionismo inclui palestras com um paleontólogo convidado.

— Se você pega uma pessoa que entende, ela prova que os dinossauros foram criados, e não evoluíram. Pelos fósseis você percebe. Foi através do dilúvio que eles foram extintos — avalia a diretora da escola, Marilei Schlemper da Silva.

Fósseis de dinossauros e estudos geológicos ajudaram a construir a base do conhecimento que deu origem ao evolucionismo. A teoria da Seleção Natural das Espécies de Charles Darwin só foi possível graças aos achados que comprovaram que a Terra tem bilhões de anos de idade. Ou seja, é com o passar do tempo que a vida evoluiu — tese comprovada por estudos empíricos já no século XIX, inclusive aqueles conduzidos por Fritz Müller em Blumenau e Florianópolis.

O criacionismo ensinado em escolas confessionais, como a Adventista, atualiza os conceitos bíblicos reconhecendo parte das descobertas científicas. De acordo com essa visão, a complexidade do mundo natural não pode ser explicada apenas pelo acaso da seleção natural. Teria de haver um planejador inteligente capaz de desenvolver a vida como ela é nos mínimos detalhes. O ensino do criacionismo é polêmico, no Brasil e mundo afora, justamente por misturar fé com conteúdo acadêmico.

De acordo com a diretora do Colégio Adventista de Blumenau, os alunos da instituição aprendem tanto a explicação científica quanto a teológica para que cada um faça a sua própria avaliação. A programação da semana se encerra nesta sexta-feira (21).

Leia também

Trecho duplicado da BR-470 também precisa de tapa-buracos

Motoristas anunciam "torneio de golfe" nos buracos da BR-470; chuva atrapalha obras

Campanha em Blumenau restaura bicicletas usadas para doar a crianças no Natal

Por que o sol está de mal com Blumenau neste mês de outubro

Blumenau tem 80 mil veículos com documentação irregular

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas