nsc
nsc

Complexo viário da Mafisa

Presidente Jair Bolsonaro cita duplicação da BR-470 em tuíte sobre obras federais

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
17/07/2020 - 08h55 - Atualizada em: 17/07/2020 - 09h03
Viaduto da Mafisa será entregue no fim de julho
Viaduto da Mafisa será entregue no fim de julho (Foto: Lourival Lorenz, Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro citou a duplicação da BR-470 em uma mensagem pelo Twitter, na manhã desta sexta-feira (17). Num post sobre obras em estado avançado, o perfil com mais de 6,6 milhões de seguidores incluiu imagens feitas com drone do complexo viário da Mafisa, em Blumenau, que está prestes a ser liberado para o tráfego de veículos.

Depois de reduzir os embates com governadores, Congresso e Supremo Tribunal Federal (STF), e dar uma guinada na sustentação política do governo, aproximando-se do Centrão, Bolsonaro tem usado o Twitter mais para divulgar ações de governo do que para provocar polêmicas. Quase todas as manhãs materiais preparados pela assessoria de comunicação do Planalto são publicados nas plataformas digitais do presidente.

> Clique aqui para receber as últimas notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp.

Presidente publicou mensagem nesta sexta
Presidente publicou mensagem nesta sexta
(Foto: )

Promessa de campanha do presidente, a duplicação da BR-470 é uma das obras que seu governo tem condições de entregar até a campanha de reeleição, em 2022. Essa coincidência de datas é a esperança do DNIT Santa Catarina de que o Ministério dos Transportes eleve o orçamento da obra nos próximos dois anos.

Pai da obra

Bolsonaro certamente poderia faturar politicamente pela aceleração da parte mais visível e entrega da duplicação entre Navegantes e Indaial. Apesar da crise econômica, com bem menos dinheiro orçado, é inegável o avanço dos trabalhos.

O atual governo contou com a reorganização do DNIT Santa Catarina, no mandato de Michel Temer, decisiva para os resultados atuais, e só conseguiu executar os viadutos da Mafisa e de Indaial porque havia dinheiro não usado de orçamentos ainda do governo Dilma Rousseff, que deu início à obra e executou a parte mais demorada e menos aparente.

Porém, esse dinheiro acabou. Para fazer a duplicação avançar de verdade até 2022, o governo terá despejar dinheiro em desapropriações. A ver onde encontrará brechas orçamentárias para fazer isso.

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas