Não foi o Figueirense que se esperava. A derrota de 2 x 1 para o ABC é pior cenário na estreia do quadrangular decisivo na Série C do Brasileiro. O time esteve desequilibrado no primeiro tempo e acabou precisando correr atrás durante todo o jogo.

Continua depois da publicidade

Se esperava justamente mais equilíbrio da equipe com a presença de Moacir no meio de campo. Não aconteceu. O time conseguiu fechar os espaços no lado direito, mas o lado esquerdo não funcionou. E foi por ali que o ABC construiu a vitória.

O Figueirense sempre dá prioridade a Zé Mário na construção das jogadas. É algo da característica da equipe. Os adversários também sabem. O ABC conseguiu explorar as costas do lateral esquerdo do Figueirense. 

> ​Receba notícias de Florianópolis e região no seu WhatsApp

Não havia uma cobertura sólida ali. Oberdan não conseguia fazer e Maurício fora da área virou passageiro – como na jogada do segundo gol, em que a defesa do Figueirense foi totalmente desmontada. O primeiro gol já havia sido um erro grave, numa jogada que saiu de um lateral.

Continua depois da publicidade

O Furacão foi melhor no segundo tempo e teve até a grande chance do empate. Depois do gol de pênalti De Wilson, Andrew perdeu um gol feito, livre na área, em toque de cabeça. Jogou pra fora.

No todo do jogo faltou cobertura, aproximação e compactação à equipe e presença ofensiva. Foi um Figueirense desequilibrado para defender e para atacar.

A derrota impõe ao Figueirense ser perfeito nas partidas que vai ter em casa agora contra o Vitória e o Paysandu. A largada com revés joga uma pressão na equipe e preocupa.

Destaques do NSC Total