Faltam três rodadas para o encerramento do Brasileirão. Neste momento, depois de um campeonato inteiro de Botafogo na liderança, o Palmeiras é o líder, com 63 pontos, e o Flamengo é o vice-líder, com os mesmos 63 pontos. 

Continua depois da publicidade

O Melhor time do Brasileirão 2023

Não acreditam no campeonato, mas querem a glória e o reconhecimento

É a reprodução da realidade do futebol brasileiro há pelo menos seis anos. De lá pra cá, tirando 2021, em que o Atlético-MG furou a bolha, os dois tem dividido os títulos no Brasileirão. 

E se formos ampliar a análise para os campeonatos que os grandes times brasileiros podem vencer, o Palmeiras, além dos Brasileiros de 2018 e 2022, ganhou as Libertadores de 2020 e 2021, a Copa do Brasil em 2020 e a Supercopa do Brasil de 2023. O Flamengo ganhou os Brasileiros de 2019 e 2020, as Libertadores de 2019 e 2022, a Copa do Brasil de 2022, e as Supercopas de 2020 e 2021. 

Continua depois da publicidade

Leia mais notícias do Esporte no NSC Total

Claro que há outros campeões, como o Fluminense, que este ano ganhou a Libertadores, ou o São Paulo, que levou a Copa do Brasil, ou ainda o Athletico Paranaense, que venceu a Copa do Brasil de 2019, e o próprio Atlético-MG, campeão da mesma Copa do Brasil de 2021. Mas são conquistas espalhadas, diluídas.

Derrota do Botafogo para o Vasco é definitiva e abre a disputa do Brasileirão; são seis equipes na briga pelo título

O que estão ocorrendo é uma hegemonia da dupla Flamengo/Palmeiras, que são clubes de gestões completamente diferentes, mas que estão sempre competitivos. O Palmeiras é praticamente um clube empresarial e tem um projeto esportivo mais sólido, planejado e bem executado. O Flamengo tem uma administração fortíssima, que resolve o clube gerando receitas. Mas sustenta o futebol – que é muito mal gerido – gastando mais do que deveria, apesar de ter os recursos que gasta.

O Botafogo tá louco pra entregar, mas quem vai querer o Brasileirão, afinal?

Se a concorrência não mudar pra melhor nos próximos anos, este cenário também não vai mudar. E o mudar não significa que Flamengo e Palmeiras precisam quebrar ou se desorganizar. O caminho é o contrário, o da organização, da boa gestão, mas isso leva mais tempo e dá mais trabalho, além de não ser tão popular. O mais fácil e continuar jogando pra galera e contratando times de temporada pra ver se emplaca um título esporádico. 

Continua depois da publicidade

Botafogo e Palmeiras fizeram um resumo do campeonato em 90 minutos

O que gera o desequilíbrio no futebol brasileiro é a incompetência da maioria. Não é só a competência do Palmeiras de Abel pra tocar o projeto esportivo, nem só a competência administrativa do Flamengo, que se transformou numa máquina de gerar receitas. É a falta de gestão, capacidade e de visão da concorrência. 

Destaques do NSC Total