nsc
nsc

Pouco futebol

Seleção vence Venezuela só no talento individual; Raphinha faz boa estreia

Compartilhe

Faraco
Por Faraco
07/10/2021 - 21h37
Gabriel Jesus voltou ao ataque da Seleção Brasileira
Gabriel Jesus voltou ao ataque da Seleção Brasileira (Foto: Lucas Figueiredo/ CBF)

A vitória de 3 x 1 sobre a Venezuela não esconde que o time de Tite é uma pobreza coletiva. O futebol da Seleção Brasileira é um desperdício de bons jogadores. O time teve uma atuação no mínimo preguiçosa diante da Venezuela. 

O técnico Tite, que adora discorrer sobre teorias de futebol moderno em suas coletivas, com termos como “zona 14” e “externo desequilibrante”, coloca em campo um conjunto sem intensidade, sem compactação, e que sequer pressiona a bola no campo de ataque.

Havia uma expectativa enorme com as novidades na escalação do time. Mas o problema não são os nomes. O problema é o jogo coletivo. Em termos coletivos, a Seleção Brasileira continua precisando do brilho individual para ganhar. E quando sai atrás no placar, essa pobreza ofensiva fica ainda mais latente.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Nas primeiras duas mexidas que o treinador canarinho fez, ele tirou os dois meias da equipe, que eram Everton Ribeiro e Lucas Paquetá, esvaziando o meio de campo e a criação. Passou a depender ainda mais das individualidades do ataque. Foi a individualidade que acabou fazendo o placar virar.

Neste sentido, o atacante Raphinha, revelado no Avaí, fez uma bela estreia com a amarelinha. Boas jogadas e muita iniciativa. Fez duas assistências e boas jogadas pelo lado direito do campo. Ajudou muito na virada. 

A Seleção vai pra Copa do Mundo, mas o ciclo completo de Tite é uma grande decepção. O time atual joga menos que o time que ganhou as Eliminatórias e foi pra Copa de 2018.

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Mais colunistas

    Mais colunistas