nsc
nsc

Renovação

Como manter a sexualidade após a maternidade

Compartilhe

Gabriela
Por Gabriela Dias
22/07/2022 - 08h49 - Atualizada em: 22/07/2022 - 13h06
Não é necessário dar conta de tudo
Não é necessário dar conta de tudo (Foto: Daniel Reche/Pexels)

Mulheres têm a maravilhosa capacidade de assumir diversos papéis: de esposa, filha, empresária, mãe e amiga. Mas tem um papel que a gente nunca abre mão, o de mulher. Principalmente quando a mulher esquece é mulher e veste apenas o chapéu de mãe. 

Receba notícias do DC via Telegram

Não é só na maternidade que acontece, mas principalmente nessa fase, as mulheres costumam esquecer de si mesmas para assumir o papel de mãe. Porque se eu não me olho, e não me enxergo como mulher, isso é um problema. Importante não generalizar, porque não é deixar de olhar seu filho para olhar o seu marido, é sobre olhar para si mesma. 

Ela pensa: "eu já não tomo banho, não como direito". Então é vestida essa capa de mulher maravilha, de quem não precisa da ajuda de ninguém, que a mulher esquece de si. Mas até que ponto isso é saudável para a mulher? 

O rótulo de heroína que colocaram sobre os nossos ombros pelo simples fato de sermos mulheres não é nosso. Não é necessário dar conta de tudo. Você já é a melhor mãe e esposa que pode. A nossa sexualidade tem que existir mesmo nesses papéis. 

Tornar-se mãe muda a mulher, e muito. Então, é necessário voltar para os sonhos que se tinha antes dos filhos e recalcular a rota, não esquecer quem a gente é. 

Leia também

Mais da metade das mães brasileiras sentem culpa na maternidade, diz estudo

Você usa calcinha 24 horas por dia? Pode fazer mal

Como ter um parto saudável? Confira dicas

Gabriela Dias

Colunista

Gabriela Dias

Sexóloga, empreendedora, palestrante e consultora materna. Discute sobre temas como sexualidade, saúde, relacionamento e qualidade de vida.

siga Gabriela Dias

Gabriela Dias

Colunista

Gabriela Dias

Sexóloga, empreendedora, palestrante e consultora materna. Discute sobre temas como sexualidade, saúde, relacionamento e qualidade de vida.

siga Gabriela Dias

Mais colunistas

    Mais colunistas