nsc
nsc

Saúde

Entenda por que pensar em sexo faz bem

Compartilhe

Gabriela
Por Gabriela Dias
18/03/2022 - 08h54 - Atualizada em: 18/03/2022 - 16h19
A colunista Gabriela Dias conta sobre o assunto
A colunista Gabriela Dias conta sobre o assunto (Foto: Unsplash/Reprodução)

A ideia de que o sexo é feito apenas para reprodução ou então para satisfação do parceiro, precisa ser desmistificada. É preciso entender que isso não vai entrar em uma lista de prioridades, se visto como algo, de certa forma, errado. Mas então pensar em sexo faz bem?

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Sim! Pensar em sexo é fundamental para que você consiga trabalhar a sua libido e desejo. 

Pare e reflita: quantas vezes por dia você pensa em sexo?

É preciso trocar a mentalidade social e ver o ato sexual como algo bom, que pode ser pensado e desejado com mais frequência. Dê o braço a torcer e tire esse tabu para entender que o nosso corpo precisa de sexo.

Faça algumas perguntinhas à você mesmo:

  1. O que o sexo significa pra mim?
  2. O quanto isso é importante pra mim?

Se abra e se permita! Livros podem ajudar à desmistificar o seu pensamento, caso ainda ache que fazer sexo signifique apenas reproduzir. 

> Veja 5 dicas para melhorar a sua libido

Veja só, não estou falando de ponografia, mas sim para lembrar durante o dia de todas as vezes que você fez sexo e do quão bem você se sentiu com isso.

Veja alguns livros

  • Mulheres querem sexo, homens sempre têm dor de cabeça
  • Tudo sobre sexo
  • Quero trasar

Leia também

Sexo em lugares públicos é um fetiche? Entenda

Tamanho do pênis importa no sexo? Entenda

Como identificar e tratar a ejaculação precoce

Gabriela Dias

Colunista

Gabriela Dias

Sexóloga, empreendedora, palestrante e consultora materna. Discute sobre temas como sexualidade, saúde, relacionamento e qualidade de vida.

siga Gabriela Dias

Gabriela Dias

Colunista

Gabriela Dias

Sexóloga, empreendedora, palestrante e consultora materna. Discute sobre temas como sexualidade, saúde, relacionamento e qualidade de vida.

siga Gabriela Dias

Mais colunistas

    Mais colunistas