nsc
nsc

Despedida

Morre em Florianópolis o escritor Cesar do Canto Machado

Compartilhe

Leo
Por Leo Coelho
13/05/2021 - 05h00
Escritor ocupava a cadeira 28 da Academia Desterrense de Letras em Florianópolis
Escritor, que ocupava a cadeira 28 da Academia Desterrense de Letras em Florianópolis, vivenciou a enchente de 1974 no Sul do Estado, quando escreveu a obra: “Tubarão 1974 – Fatos e relatos da grande enchente” (Foto: internet)

Faleceu na quarta-feira, dia 12, Cesar do Canto Machado. O escritor deixa obras importantes no resgate histórico de Santa Catarina, incluindo a enchente de 1974 na cidade de Tubarão. Cesar nasceu em Araranguá e era membro da Academia Desterrense de Letras, de Florianópolis, ocupando a Cadeira 28, tendo como patrono Virgílio Várzea. Segundo a família, Césinha como era carinhosamente chamado, foi vítima de um AVC. Atualmente o escritor residia em Florianópolis, onde foi cremado.

Cannabis medicinal avança no tratamento esportivo

Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

O companheiro Mário Motta fez questão de contar uma passagem com o grande escritor catarinense: “Foi no dia 11 de setembro de 2001. O local: estúdios da Rádio CBN Diário no Morro da Cruz em Florianópolis. Eu entrevistava Cesar do Canto Machado ao vivo sobre seu novo livro - Biografias de Catarinenses notáveis (Editora Insular). De repente no monitor do estúdio, imagens da CNN mostrando em tempo real uma das torres do World Trade Center pegando fogo em Nova York. Pedi licença ao Cesar e passamos (os dois) a acompanhar e a comentar o que estaria acontecendo. Ouvi o locutor falar no choque de uma “small plane”. Tomamos por um acidente, e sem saber – narramos o choque da outra aeronave com a segunda torre. Eu pensei tratar-se de replay, mas não... Era a complementação do inacreditável episódio que se abateu sobre os americanos e de alguma forma todo o mundo. Permanecemos, eu e Cesar do Canto Machado, comentando o ocorrido e ele foi muito importante naquele episódio dando consistência aos fatos e tornando-se inesquecível para mim.

Sempre que nos encontrávamos, a primeira parte da conversa era relembrarmos aquele episódio. Depois, normalmente o tema era - novos livros que ele estava escrevendo, novos planos que fervilhavam naquela cabeça brilhante que ora nos deixa... Mais um amigo que se vai. Meu imenso pesar aos familiares e amigos.” – Mário Motta!

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Mais colunistas

    Mais colunistas