O principal palco de espetáculos e de fomento à cultura de Blumenau vai ganhar um trato bancado pela iniciativa privada. Pelo menos seis grandes empresas da região estão repassando recursos via Lei Federal de Incentivo à Cultura ao Teatro Carlos Gomes. É um dinheiro bem-vindo e que será usado em uma reforma da infraestrutura, incluindo parte elétrica, pisos, paredes, banheiros e telhado.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

O teatro já captou R$ 328,2 mil para os trabalhos. A lista de doadores inclui WEG (R$ 100 mil), Blukit (R$ 90 mil), Havan (R$ 50 mil), Cartondruck (R$ 35 mil), Malhas Wilson (R$ 26.775,81) e Agro Veterinária Timbó (R$ 26.454,59). O projeto aprovado, no entanto, está orçado em R$ 1,1 milhão. Ainda faltam cerca de R$ 780 mil, valor que a diretoria da instituição continuará prospectando.

Mesmo sem toda a quantia necessária, já é possível dar início à manutenção de algumas áreas, diz Ricardo Stodieck, atual presidente do Carlos Gomes. Antes, no entanto, é preciso aguardar a liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia vinculada ao Ministério do Turismo. O aval do órgão é necessário por se tratar de bem tombado.

— A gente acredita que até o final de setembro o Iphan aprove. Aí automaticamente sai a liberação do dinheiro neste ano ainda para começar as obras — projeta Stodieck.

Continua depois da publicidade

A última grande reforma do teatro ocorreu em 2012, ocasião em que foram trocados sanitários e estruturas cênicas do palco, além de renovação do mobiliário nos camarins e adequação às normas de segurança e preventivo de incêndio. Na época, as melhorias foram bancadas via Lei Rouanet graças ao patrocínio das empresas Cia. Hering, Souza Cruz (R$ 600 mil cada) e WEG (R$ 300 mil).

Antes disso, no início dos anos 2000, o teatro passou por um amplo restauro, que incluiu recuperação da fachada, implantação de ar-condicionado e troca de pisos. Ao defender o projeto de agora, o Teatro Carlos Gomes diz que o apoio garante a conservação e a segurança de um equipamento que é “símbolo da cultura catarinense”.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também​

Rede de atacarejo investe R$ 17 milhões para abrir loja em Massaranduba

Continua depois da publicidade

Blumenau busca inspiração na Disney para os desfiles de Natal; veja datas e carros alegóricos

A nova estratégia da Cooper é comprar pequenos mercados

Os dois cenários em que Moisés não lidera a pesquisa Ipec ao governo de SC

Círculo investe R$ 40 milhões em fábrica de Gaspar

Blumenau quer “importar” o Papai Noel original da Lapônia para o Natal

Destaques do NSC Total