nsc

publicidade

Pedro

Infraestrutura

Entidade defende criação de novo distrito industrial em Blumenau

Compartilhe

Por Pedro Machado
08/10/2019 - 09h28 - Atualizada em: 08/10/2019 - 09h52
Avanço de estudos depende da definição do traçado da nova SC-108 (Foto: Patrick Rodrigues, BD)

O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico (Simmmeb) vai intensificar as articulações com a prefeitura de Blumenau para tirar do papel a criação de um distrito industrial e logístico na cidade, mais especificamente no bairro Itoupava Central. A área imaginada fica entre a futura nova SC-108 (prolongamento da Via Expressa) e o pé do morro da Vila Itoupava, com a vantagem de permitir rápido acesso à BR-470 – que, espera-se, esteja totalmente duplicada nos próximos anos.

O projeto ainda é embrionário, mas avançar as discussões sobre ele é uma das bandeiras do segundo mandato do empresário Dieter Claus Pfuetzenreiter à frente do Simmmeb – ele encabeça a chapa única da diretoria que será eleita em votação marcada para esta terça-feira. A ideia, aliás, não é nova. A estruturação de distritos industriais é um dos pontos elencados dentro do Plano Estratégico de Desenvolvimento Econômico Municipal (Pedem), lançado em 2016, para ajudar a fortalecer o setor eletrometalmecânico.

O dirigente defende o projeto como alternativa para atração de empresas e manutenção daquelas que já estão em Blumenau. Com pouca disponibilidade de grandes áreas na cidade e gargalos logísticos de acesso e saída, muitos dos novos investimentos fabris têm migrado para outras regiões.

— É a última fronteira que Blumenau tem disponível para o setor industrial — argumenta Pfuetzenreiter.

Longo prazo

Já houve conversas iniciais a respeito com a prefeitura, que se mostrou disposta a estudar o assunto. Antes de tudo, no entanto, é preciso conhecer o traçado definitivo da nova SC-108, segundo o secretário de Planejamento Urbano Ivo Bachmann Jr. Só a partir desse detalhamento seria possível avaliar mudanças de zoneamento e de plano diretor da cidade – cujas alterações dependem de aprovação em audiências públicas – e criar uma política de incentivo e atração de empresas para a região. É projeto, portanto, de longo prazo.

Balanço

Na primeira perna da gestão, Pfuetzenreiter contabiliza pontos positivos, apesar dos desafios – o fim da contribuição compulsória fez o Simmmeb, assim como outros sindicatos, rever processos internos. O número de associados saltou de 180 para 235, a área de abrangência atingiu Gaspar (além de Blumenau e Pomerode), foi criada uma central de compras coletivas para redução de custos e avançou o processo de internacionalização de empresas, com destaque para duas missões de negócios para o Paraguai. Outro destaque foi a formalização de um programa para identificar oportunidades relacionadas ao mercado cervejeiro.

Deixe seu comentário:

publicidade