O Grupo Kyly, de Pomerode, divulgou nesta quinta-feira (6) que encerrou 2019 com faturamento acima de R$ 460 milhões — o resultado de 2018 havia sido de R$ 445 milhões. No total, a empresa comercializou 18,3 milhões de peças de roupa. E ainda abriu 500 novas vagas de emprego no ano passado, volume em parte impulsionado pela inauguração, em dezembro, de uma fiação própria, fruto de um investimento de R$ 44 milhões.

Continua depois da publicidade

Para este ano, a companhia projeta um crescimento na receita líquida de 8%. Aumentar em 20% as vendas no mercado externo também é uma das metas. Já consolidado na América Latina, o grupo está presente em mais de 25 países e mira o foco agora na Europa, em especial a Itália.

No varejo, o objetivo é expandir a rede de lojas da marca Milon — já são 70 unidades, entre próprias e franquias —, que faturou R$ 40 milhões em 2019, alta de 25% na comparação com 2018. Quinze novas unidades estão previstas para 2020. Os focos são São Paulo (capital e interior), Rio de Janeiro e todas as capitais do Nordeste.

Fundada em 1985, a Kyly tem 2,1 mil colaboradores e produz as marcas Kyly, Nanai, Milon, Amora e Lemon. Além das unidades próprias e franqueadas, as coleções desenvolvidas pela empresa podem ser encontradas em 9 mil lojas multimarcas e na internet.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total