Vinte das 200 maiores redes de supermercados do Brasil são de Santa Catarina. Isso é o que revela o mais novo ranking da Abras, associação nacional do setor, divulgado na noite desta segunda-feira (8) durante o Smart Market 2024, encontro em São Paulo que reúne lideranças do varejo alimentar de todo o Brasil. O levantamento, anual, considera o faturamento bruto registrado pelas empresas em 2023.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Este grupo de representantes catarinenses faturou R$ 39,2 bilhões no último ano, conforme a pesquisa. O principal destaque foi o Koch, dono das bandeiras Koch e Komprão, que ganhou três posições e pela primeira vez aparece no top 10 do ranking – justamente na 10ª posição, com vendas de cerca de R$ 8 bilhões.

O levantamento ainda conta com outros gigantes do setor, como o Grupo Pereira, que manteve a sétima colocação geral – embora tenha sede em São Paulo, a empresa nasceu em Itajaí na década de 1960. Marcas de peso, como Giassi, Angeloni e Mundial Mix (dono das bandeiras Imperatriz e Brasil Atacadista), perderam posições no ranking.

Abaixo, a coluna compilou as principais informações da pesquisa envolvendo as maiores supermercadistas do Estado. A galeria (navegue pelas imagens para conferir) revela as posições das redes no ranking nacional em 2023 e 2022 e o faturamento registrado no último ano. A fonte dos dados é a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Continua depois da publicidade

Além do Grupo Pereira e do Koch, o top 10 nacional ainda tem, nesta ordem de faturamento, Carrefour (R$ 115,4 bilhões), Assaí Atacadista (R$ 72,7 bilhões), Grupo Mateus (R$ 30,2 bilhões), Grupo Pão de Açúcar (R$ 20,6 bilhões), Supermercados BH (R$ 17 bilhões), Super Muffato (R$ 15,6 bilhões), Cencosud (R$ 11,1 bilhões) e Supermercados Mart Minas (R$ 9,4 bilhões).

Aliás

Um nome que pode fazer falta na lista é o da Cooper, que tem 20 lojas espalhadas pelo Vale do Itajaí e Norte catarinense e faturou R$ 1,5 bilhão em 2023. A rede, no entanto, enquadra-se como cooperativa de consumo e, portanto, não é oficialmente um grupo supermercadista. Logo, não foi considerada na pesquisa.

Outra ausência notável é a do Bistek. A rede esteve no ranking da Abras do último ano, na 41ª posição nacional, mas não aparece nesta edição por não ter enviado os dados à entidade. A empresa recentemente informou que faturou R$ 1,96 bilhão em 2023.

Continua depois da publicidade

Leia também

Famosa empresa têxtil de SC tira peso das costas ao encerrar recuperação judicial

Parque de diversões que marcou época em SC anuncia retorno: “Ressurreição de um sonho”

A nova aposta de Blumenau para combater a falta d’água

Quais os obstáculos para a duplicação da BR-470 avançar entre o acesso a Pomerode e Indaial

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp

Destaques do NSC Total