nsc
nsc

Economia

O que pesou na decisão do Mercado Livre de instalar centro de distribuição em Governador Celso Ramos

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
12/11/2020 - 11h39 - Atualizada em: 12/11/2020 - 17h10
Mercado Livre
Grupo anunciou nesta quinta-feira a instalação de cinco novos centros de distribuição no Brasil (Foto: Divulgação)

A decisão do Mercado Livre de instalar o centro de distribuição de Santa Catarina em Governador Celso Ramos – outras cidades foram especuladas, como Gaspar –, oficialmente confirmada pelo grupo nesta quinta-feira (12), levou em conta um conjunto de fatores.

> Quer receber notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do Santa

Em um tipo de negócio em que a agilidade na entrega de mercadorias é fator crucial, a logística, claro, foi um dos pontos principais - antes disso, o governo do Estado já havia sinalizado com incentivos fiscais, ponto que teria feito o grupo recuar no projeto em Gravataí (RS). Na região, a operação ficará no meio de um corredor com estrada duplicada e acesso mais rápido ao Sul do Paraná e ao Rio Grande do Sul, mercados que também serão abastecidos pela estrutura. Mas não foi apenas isso.

O vice-presidente da Mercado Envios – braço logístico da gigante de tecnologia –, Leandro Bassoi, destacou durante o anúncio outros fatores importantes que pesaram na escolha, classificando a decisão como técnica. Listou o mapeamento de um local com as características físicas mais adequadas, viabilidade, regras de licenciamento e a identificação de um parceiro com expertise na construção, que em Santa Catarina será a Cassol.

— Essa combinação de fatores não é simples — ressaltou Bassoi, ao justificar a opção pela cidade.

O CD de Governador Celso Ramos terá 32 mil metros quadrados de área construída, com capacidade de expansão para até 71 mil metros quadrados. Ele ficará pronto em meados de 2021, mas antes disso uma operação temporária será aberta já em janeiro para atender a demanda da região Sul. Serão mil empregos diretos gerados.

A estrutura catarinense está incluída em um pacote de cinco novos centros de distribuição confirmados pelo Mercado Livre para duplicar a capacidade logística no Brasil – outras duas unidades ficarão em Cajamar (SP), uma em Guarulhos (SP) e outra em Extrema (MG) –, dentro de um plano de investimentos já anunciado de R$ 4 bilhões. O tamanho do aporte no Estado não foi divulgado.

— É uma expansão relevante. O Mercado Livre vem investindo em logística há muitos anos e aumentando nossa plataforma tecnológica para gerenciar entregas mais rápidas — destacou Bassoi durante o anúncio.

Atualmente, a malha logística do Mercado Livre abrange 1,8 mil cidades brasileiras, atingindo 80% da população com entregas em até dois dias.

Quer receber notícias e análises de economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região no seu celular? Acesse o canal do blog no Telegram pelo link https://t.me/BlogPedroMachado ou procure por "Pedro Machado | NSC" dentro do aplicativo.

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas