O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) concedeu a licença ambiental prévia (LAP) para a instalação de um terminal privado de granéis líquidos em área que pertence ao Estaleiro Itajaí, na Barra do Rio, às margens do Itajaí-Açu em Itajaí. O projeto é da multinacional espanhola Elcano, que desde 2008 controla a antiga fabricante de embarcações de médio e grande porte.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

O documento, emitido no dia 22 de maio, tem prazo de validade de 60 meses. Na prática, é um novo passo para que o futuro empreendimento saia do papel. Com acesso principal pela BR-101, o terminal deve funcionar como um grande depósito para armazenar e distribuir combustíveis e produtos líquidos. Ele deve ocupar uma área aproximada de 102 mil metros quadrados de um terreno de 168 mil metros quadrados.

Área em SC mapeada para tem potencial subutilizado, sugere empresa

O projeto, segundo a LAP, prevê a construção de tancagem com pátio de bombas, ilhas de carregamento e descarregamento de carretas tanque, linhas e interligações com um cais a ser construído e equipamentos e sistemas de segurança industrial. A retroárea abrigará as instalações operacionais para a armazenagem dos produtos, as operações de carregamento e descarregamento rodoviário e as demais instalações de apoio e administrativas.

Continua depois da publicidade

A implantação deve ser dividida em quatro fases ao longo de seis anos, com ampliações sendo feitas conforme o aumento da demanda. Ao todo, estão previstos 17 tanques de combustíveis como etanol, gasolina, diesel e biodiesel, distribuídos em três diques de contenção e com capacidade para armazenar 118 mil metros cúbicos.

A primeira etapa contempla 11 tanques, com um prazo de implantação estimado em 36 meses e investimento aproximado de R$ 160 milhões. Todo o empreendimento está avaliado em mais de R$ 300 milhões, como antecipou a coluna em junho do ano passado. Na largada, o novo terminal deve movimentar, por mês, 400 mil metros cúbicos de derivados e biocombustíveis, recebendo de 25 a 59 atracações por ano.

Com a LAP em mãos, os investidores precisam agora apresentar novos estudos para reivindicar a licença ambiental de instalação (LAI), que abre caminho para o início das obras.

Imagens revelam como será o futuro empreendimento

Continua depois da publicidade

Leia também

Maria Regina diz “sim” e será candidata a vice de Egídio Ferrari em Blumenau

Blumenau confirma parcerias para Concurso e Festival da Cerveja em 2025; veja o que muda

Semana agitada deixa interrogações na corrida eleitoral em Blumenau

Dona do Burger King faz acordo para comprar o Starbucks no Brasil por R$ 120 milhões

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp

Destaques do NSC Total