Empresários que construíram impérios em diferentes setores da economia e herdeiros da WEG, uma das maiores indústrias do Brasil, formam o seleto clube de 35 catarinenses com fortunas acima de R$ 1 bilhão. A lista consta em edição da revista Forbes que destacou 280 bilionários do Brasil, publicada na sexta-feira.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

Como a coluna já havia antecipado, Luciano Hang, fundador e dono da rede de lojas de departamentos Havan, lidera o clube dos super-ricos catarinenses, com patrimônio de R$ 16,3 bilhões. Na 17ª posição do ranking, o empresário de Brusque caiu de posição em relação à última edição, quando figurava em oitavo.

Veja a posição dos 10 catarinenses mais ricos, segundo a Forbes

Alceu Elias Feldmann, fundador e controlador da Fertipar, responsável por 15% do mercado nacional de fertilizantes, aparece na sequência, seguido por Itamar Locks, um dos controladores da gigante agrícola Amaggi. Jorge Luiz Savi, cuja família é controladora da Intelbras, Jaimes Almeida Junior, dona da rede de shoppings Almeida Junior, e Mauro Fantin, ex-presidente da Parati Alimentos, também estão na lista.

Continua depois da publicidade

Ranking da Forbes revela que SC é o 3º estado com mais bilionários no Brasil em 2023

No meio do bolo do bilhão, há 29 herdeiros da WEG. São filhos e netos dos três fundadores da empresa – Werner Ricardo Voigt, Eggon João da Silva e Geraldo Werninghaus – e que detém ações da companhia.

Na comparação com o levantamento anterior, Santa Catarina perdeu dois representantes – eram 37 na última edição. Gert Heinz Schulz, Waldir Carlos Schulz e Ovandi Rosenstock, todos ligados à metalúrgica joinvilense Schulz, deixaram a lista. Por outro lado, Mauro Fantin, ex-presidente da Parati Alimentos, entrou para o seleto clube.

Veja quais são os outros 25 catarinenses na lista de bilionários

  • 101º – Ricardo Werninghaus (R$ 3,62 bilhões): filho de Martin Werninghaus e neto de um dos fundadores da WEG, Geraldo Werninghaus
  • 113º – Jaimes Almeida Junior e família (R$ 3,2 bilhões): fundador e presidente da Almeida Junior, maior rede de shoppings de Santa Catarina
  • 114º – Daniel Ricardo Behnke (R$ 3,11 bilhões): herdeiro de Heide Werninghaus Behnke, filha de um dos fundadores da WEG, Geraldo Werninghaus
  • 114º – Davi Ricardo Behnke (R$ 3,11 bilhões): herdeiro de Heide Werninghaus Behnke, filha de um dos fundadores da WEG, Geraldo Werninghaus
  • 114º – Eduardo Werninghaus (R$ 3,11 bilhões): herdeiro de Armin Werninghaus, filho mais jovem de Geraldo Werninghaus, um dos fundadores da WEG
  • 114º – Luisa Werninghaus Bernoldi (R$ 3,11 bilhões): herdeira de Armin Werninghaus, filho mais jovem de Geraldo Werninghaus, um dos fundadores da WEG
  • 118º – Felipe Voigt Trejes (R$ 3,10 bilhões): herdeiro das ações da mãe, Cladis Voigt Trejes, filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 118º – Pedro Voigt Trejes (R$ 3,10 bilhões): herdeiro das ações da mãe, Cladis Voigt Trejes, filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 125º – Amelie Voigt Trejes (R$ 2,93 bilhões): herdeira das ações da mãe, Cladis Voigt Trejes, filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 145º – Miriam Voigt Schwartz (R$ 2,62 bilhões): filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 149º – Bruna da Silva Bartsch Langsch (R$ 2,52 bilhões): filha de Katia da Silva Bartsch e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 149º – Joana Zimmermann da Silva (R$ 2,52 bilhões): filha de Décio da Silva, atual presidente do conselho de administração da WEG, e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da empresa
  • 149º – Paula da Silva Janssen (R$ 2,52 bilhões): filha de Solangela Silva Petry e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 149º – Renata da Silva Janssen Decker (R$ 2,52 bilhões): filha de Solangela Silva Petry e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 149º – Ricardo Bartsch Filho (R$ 2,52 bilhões): filho de Katia da Silva Bartsch e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 149º – Zaira Zimmermann da Silva (R$ 2,52 bilhões): filha de Décio da Silva, atual presidente do conselho de administração da WEG, e neta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da empresa
  • 166º – Cladis Voigt Trejes (R$ 2,17 bilhões): filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 168º – Valsi Voigt (R$ 2,14 bilhões): filha de Werner Ricardo Voigt, um dos fundadores da WEG
  • 175º – Alberto da Silva Geffert (R$ 1,92 bilhão): filho de Tânia Marisa da Silva e neto de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 175º – Julia da Silva Geffert de Oliveira (R$ 1,92 bilhão): filha de Tânia Marisa da Silva e neto de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 192º – Ana Flávia da Silva Petry (R$ 1,68 bilhão): filha de Marcia da Silva Petry, herdeira direta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 192º – Helena Marina da Silva Petry (R$ 1,68 bilhão): filha de Marcia da Silva Petry, herdeira direta de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 192º – Henrique da Silva Geffert (R$ 1,68 bilhão): herdeiro de Tânia Marisa da Silva, filha de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 192º – Marcia da Silva Petry (R$ 1,68 bilhão): filha de Eggon João da Silva, um dos fundadores da WEG
  • 249º – Mauro Fantin e família (R$ 1,1 bilhão): Foi presidente da Parati Alimentos, vendida em 2016 para a Kellog por R$ 1,38 bilhão. Hoje a família é dona da Tevere, de produtos de ferro e construção civil, e sócia de empreendimentos nos setores imobiliário e de energia

Leia também

Concorrente está de olho em pontos de lojas fechadas pela Schumann em SC

Ranking da Forbes revela que SC é o 3º estado com mais bilionários no Brasil em 2023

Quanto o governo Lula propõe investir na BR-470 em 2024

Ataliba vai abrir segundo restaurante em Blumenau

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp

Destaques do NSC Total