nsc
nsc

IMÓVEL NO MORRO DO AIPIM

Restaurante Indaiá apresenta a única proposta para a concessão do Frohsinn, em Blumenau

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
12/11/2018 - 08h24 - Atualizada em: 12/11/2018 - 17h23
Imóvel está fechado há cinco anos e será reaberto em 2019 (Foto: Jean Laurindo)

Depois de cinco anos fechado e de ter sido atingido, em 2014, por um incêndio que comprometeu boa parte da sua estrutura, o imóvel do antigo Frohsinn, no Morro do Aipim, terá um novo destino em 2019. O grupo que administra o Restaurante Indaiá, em Itapema, vai assumir a concessão do espaço. A homologação da licitação que prevê a exploração comercial do local foi feita na manhã desta segunda-feira. O estabelecimento foi o único a participar do processo. Apresentou proposta para pagar, por mês, R$ 12 mil de aluguel, quantia mínima exigida pelo edital.

Curta Pedro Machado no Facebook​​​​​​​

Leia mais notícias de Pedro Machado​​​​​​

As obras de reforma do imóvel, que também será ampliado e ganhará uma área de eventos, devem começar dentro de quatro ou cinco meses, adianta Gabriel Piffer, representante do restaurante. Até lá, a nova concessionária, que poderá explorar o espaço por 25 anos, vai finalizar os projetos. Piffer já se reuniu com o prefeito Mario Hildebrandt ainda na manhã desta segunda-feira para falar dos planos iniciais para o local.

Indaía
Representante do Restaurante Indaiá, Gabriel Piffer (C) já se reuniu nesta manhã de segunda-feira com o prefeito Mario Hildebrandt (D) e o secretário de Turismo, Ricardo Stodieck (E)
(Foto: )

Conforme o edital, a nova operação deve ser aberta ao público até dezembro do ano que vem. Mas o interesse do grupo, claro, é fazer a inauguração o quanto antes. Segundo Piffer, o local terá proposta semelhante ao que já existe em Itapema – no Litoral o espaço é famoso pelo cardápio de frutos de mar e fondue, com salões para realização de casamentos e formaturas –, mas respeitando as características do edital, que exige gastronomia típica alemã.

— As pessoas terão muito prazer em visitar e frequentar o restaurante e a área de eventos — promete Piffer.

O investimento mínimo na área previsto na concessão é de R$ 3,6 milhões. Isso inclui, além da reforma e da ampliação da construção, a revitalização do mirante, que será aberto ao público e terá acesso gratuito, e a pavimentação da Rua Gertrud Sierich, que dá acesso ao local. Neste caso, a prefeitura ainda tenta viabilizar uma verba a fundo perdido para fazer a obra. Se isso ocorrer, a concessionária ficará livre dessa obrigação e não poderá abatê-la do valor do aluguel, como está previsto em relação às outras intervenções.

Frohsinn
Internamente, espaço no Morro do Aipim está em boas condições
(Foto: )

Cardápio a ser definido

De acordo com Piffer, o Indaiá ainda está estudando o tipo de cardápio que será oferecido no local. O que é certo, até por exigência da concessão, é que a casa terá opções que remetam à gastronomia típica germânica. O futuro restaurante precisará abrir seis dias por semana para jantar. Aos sábados, domingos e feriados, também deverá disponibilizar almoço.

Curva em acesso será alargada

O prefeito Mario Hildebrandt se mostrou satisfeito com o resultado. No final das contas, a prefeitura encaminhará uma solução para recuperar um dos pontos turísticos mais icônicos da cidade sem grandes ônus financeiros. O único gasto do município será no alargamento da curva logo na entrada da Rua Gertrud Sierich, que dá acesso ao local. De acordo com Hildebrandt, os recursos para essa obra, incluindo desapropriações, já estão assegurados. A intervenção é necessária, segundo ele, para garantir a passagem de ônibus de turismo que seguirão até o mirante e o futuro restaurante.

Frohsinn
Acesso, no entanto, está abandonado e a construção foi alvo de pichações
(Foto: )

Bom negócio

Tudo aponta que o Indaiá fez um excelente negócio. Além de vencer a licitação propondo o valor mínimo pelo aluguel do espaço, poderá abater da quantia mensal os aportes que forem feitos para a recuperação e a revitalização do local. O blog já havia feito as contas em outubro: os R$ 12 mil de locação a serem pagos pelo prazo de 25 anos equivalem praticamente à quantia de R$ 3,6 milhões exigida em investimentos. Ou seja, o restaurante terá de colocar um bom volume de recursos na largada, mas não precisará se preocupar com essa despesa depois.

Frohsinn
Vista privilegiada da região central de Blumenau é um dos grandes atrativos do local
(Foto: )

Deixe seu comentário:

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Últimas do colunista

Loading interface...
Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas