Com catraca liberada às terças-feiras, a Oktoberfest Blumenau terá seis dos 19 dias da edição deste ano com entrada gratuita – o passe livre será válido para quase um terço da festa. A novidade foi divulgada na última quinta (4). A coluna procurou entender com a organização qual a estratégia com a medida. E elenca agora pelos menos três motivos que justificam a decisão:

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

1 – Convocar os moradores de Blumenau e região

Este é o argumento principal utilizado pela prefeitura. A ampliação da gratuidade proporcionará, nas palavras do prefeito Mário Hildebrandt (Podemos), que mais pessoas conheçam e visitem a festa. A determinação partiu do próprio chefe do Executivo.

A escolha pela terça-feira foi fácil. Trata-se de um dia em que historicamente o movimento é mais fraco. Nas últimas três edições, em nenhuma terça o público foi superior a 14 mil pessoas. A única exceção foi o dia 11 de outubro do ano passado. O motivo: véspera de feriado.

O movimento sugere um apelo da organização para que o blumenauense frequente a festa durante a semana, já que os turistas naturalmente já virão em mais peso em dias de mais movimento e aglomero, como as sextas e sábados.

Continua depois da publicidade

2 – Gerar volume para os patrocinadores

A gratuidade é uma maneira de estimular a vinda do público em um dia, como já dito, de movimento historicamente mais baixo. Vila Germânica mais cheia é sinônimo de mais vendas de chope e comida e mais gente exposta a ações de marketing de marcas parceiras da festa. A estratégia se justificaria para compensar o aumento das cotas de patrocínios, que sofreram forte valorização nos últimos anos – tendência que deve se manter em 2023.

A expectativa de mais consumo pode compensar parte da perda de arrecadação com bilheteria nestes dias, já que os fornecedores precisam repassar uma fatia das vendas para a prefeitura. Ainda assim, o secretário de Turismo e Lazer, Marcelo Greuel, diz que não há muita preocupação neste sentido. Ele avalia que o modelo de negócio da Oktoberfest faz com que o evento dependa cada vez menos de receitas com ingressos.

Os balanços financeiros da festa comprovam essa leitura. Em 2016, quase metade (47,5%) das receitas da Oktoberfest vieram das entradas. Em 2022 esse percentual reduziu a 38,6%. Com mais dias gratuitos e patrocinadores pagando mais para estamparem suas marcas no evento, este índice tende a continuar caindo.

3 – Rebater o argumento de elitização da festa

Nos últimos anos, os aumentos de preços renderam reclamações de parte do público, que acusou a organização de elitizar a Oktoberfest Blumenau. Neste sentido, a ampliação da gratuidade, na prática, rebate este argumento, na leitura da coluna.

Continua depois da publicidade

O secretário de Turismo e Lazer, Marcelo Greuel, reconhece as críticas, embora não faça a mesma relação. Ele cita o porte da Oktoberfest, com pavilhões climatizados e shows simultâneos, para alegar que os preços – ingresso a partir de R$ 20, dependendo do dia – são acessíveis em comparação a outros eventos dessa grandeza. Como 30% do público ainda comparece vestindo traje típico, ainda há a possibilidade de pagar meia-entrada.

Segundo Greuel, o aumento do preço dos ingressos para este ano não foi definido para compensar a perda de receita com bilheterias às terças – haveria mais relação com o aumento de custos. O secretário diz que a organização vai tentar repor esses recursos de outras fontes.

Leia também

Empresa têxtil de SC prepara novo investimento no Paraguai

Atacadista investe R$ 35 milhões em Blumenau e vê primeira loja como termômetro para outras

Ambev leva Oktoberfest Blumenau e vai pagar bolada para patrocinar a festa

Hildebrandt busca presidente da Coteminas para discutir futuro da empresa em Blumenau

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp ou Telegram

Destaques do NSC Total