nsc
nsc

Nuvens

O calor segue mais forte no Oeste de SC

Compartilhe

Puchalski
Por Puchalski
06/10/2020 - 05h52 - Atualizada em: 06/10/2020 - 06h08
Imagem de satélite noturna da madrugada desta terça
Imagem de satélite noturna da madrugada desta terça (Foto: NOAA)

Apesar do amanhecer desta terça-feira ter registrado temperaturas entre 15 e 17°C, o Oeste voltará ter uma tarde quente com máximas entre 31 e 33°C. Esse aquecimento deverá ocorrer também entre o Meio Oeste e Planalto Norte. Para as demais regiões as temperaturas da tarde não sobem tanto, ficando entre 25 e 27°C, sendo que Sul e Grande Florianópolis não terão algo muito maior que 24°C.

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

Uma das imagens desta terça já mostrava uma boa cobertura de nuvens em grande para do Estado. O dia terá a presença do sol com tempo seco em todas as regiões, mas com o sol predominando mais no Oeste e Meio Oeste.

QUARTA-FEIRA

As temperaturas deverão subir ao longo da tarde e boa parte das cidades que terão algo acima de 30°C. O destaque seguriá sendo Oeste, Meio Oeste e Planalto Norte com seus 34 a 36°C. Porém, Serra tem previsão de 29°C e Norte e Vale do Itajaí com 30 a 32°C. A temperatura sobe menos na Grande Florinaópolis com seus 28°C e menos ainda no Sul com 25°C.

> Saiba como enfrentar o calor extremo e as temperaturas acima de 40°C

O sol novamente irá aparecer, mas entre nuvens. Estas nuvens ficam mais carregadas ao longo do dia trazendo previsão de chuva entre final de tarde e início de noite no Sul, Litoral, Vale, Norte e parte da Serra.

Leia mais:

Conheça os benefícios da vitamina D para a saúde muscular e dos ossos

Casa de eventos faz festa com aglomeração e será multada em Joinville; veja vídeo

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Mais colunistas

    Mais colunistas