O prefeito de Florianópolis, Topázio Neto, afirmou categoricamente, que o transporte marítimo não é tratado como solução para o caos no trânsito da cidade. A declaração foi dada durante um debate promovido pela NSC sobre os principais desafios de Florianópolis.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Topázio comentou que a implantação de um serviço de catamarã na cidade vale para fomentar o turismo e talvez, mais na frente, como uma opção de transporte para quem “curte essa experiência”. Mas alertou que se trata de um meio caro e que não faz parte do pacote de soluções para o trânsito da região.

E não foi o prefeito quem levantou o assunto. A primeira fala, na mesma direção, foi do professor da UFSC Bernardo Mayer, especialista em mobilidade urbana. Ao reforçar que a melhor alternativa para minimizar os impactos do trânsito é o ônibus e que, por isso, precisamos fazer com que os coletivos levem menos tempo do que os carros nos deslocamentos, o professor lembrou que há um simbolismo de que “como vivemos em uma ilha precisamos do transporte marítimo”.

Mas não é esta a solução. Não é isso que vai resolver, garantiu Bernardo. O prefeito Topázio concordou com a cabeça e, logo em seguida, também fez suas afirmações, ao encontro das colocações do professor.

Continua depois da publicidade

Leia também

Florianópolis e Joinville estão no top 3 das melhores cidades para empreender no Brasil

Destaques do NSC Total