nsc
nsc

Futuro comprometido

Após 11 mil abandonos, MP quer fim do revezamento de alunos em SC

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
24/08/2021 - 05h56 - Atualizada em: 24/08/2021 - 10h07
Aulas em SC
Aulas em SC (Foto: Betina Humers, Banco de Dados, NSC)

Temos uma tragédia real. Não bastassem os 8 mil alunos que abandonaram os estudos desde os início da pandemia na rede estadual de ensino, agora, somam-se a este número, mais 11 mil estudantes das redes municipais de Santa Catarina.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A informação foi revelada pelo promotor de justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude no Ministério Público (MP-SC), João Luiz de Carvalho Botega, ao programa CBN Total desta segunda-feira (23). Ele defende a redução ou eliminação do revezamento de alunos para que todos possam estar presencialmente nas unidades escolares. 

>Passaporte de vacinação em Florianópolis agrava a crise em bares e restaurantes, diz Abrasel

São crianças e adolescentes carentes com dificuldade de acesso à internet, sem equipamentos eletrônicos adequados, muitas vezes sem o apoio familiar necessário e, também, que largaram os estudos para ajudar os pais desempregados a trazer renda para casa ou trabalhar na lavoura e fiação, por exemplo.

Botega afirmou que um auxílio financeiro para estimular a manutenção destas crianças e adolescentes na sala de aula seria uma medida importante.

“Se bem desenhado e bem estruturado, que não seja apenas a bolsa, mas focado na qualidade da educação seria uma estratégia interessante”, disse. O governo de São Paulo criou uma bolsa anual de R$ 1000,00 para apoiar alunos carentes na permanência escolar. O secretário de Educação (SC) Luiz Fernando Vampiro pediu para a Diretoria de Ensino da pasta para estudar o caso.

O promotor disse que é preciso reduzir o revezamento de alunos e fazer o reforço na busca ativa dos ausentes.

“Comprovamos que a escola, quando os protocolos são bem seguidos, é de fato, um espaço extremamente seguro do ponto de vista sanitário…..e agora precisamos avançar para receber todos os alunos em sala de aula, exceto do grupo de risco, e que se possa reduzir e até eliminar o revezamento, fazendo com que todas as crianças possam ter aulas presenciais todos dos dias. Está mais do que comprovado que o contato presencial é insubstituível”, afirmou.

Ouça a entrevista com o promotor de justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude no Ministério Público (MP-SC), João Luiz de Carvalho Botega:

Leia Mais:

Após doar R$ 450 milhões, SC procura Guedes para abater dívida com União

SC é desprestigiada por Brasília na distribuição de verbas; veja números

Precatórios: institucionalização do calote no Brasil e em SC

O impacto do novo piso salarial dos professores em SC

Superlotação e "condições degradantes": presídio de Joinville volta ao debate após decisão de juiz

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas