nsc
nsc

Opinião

Autoridades precisam agir imediatamente para liberar estradas em SC

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
10/09/2021 - 07h00
Polícia intermediou a saída dos manifestantes no ponto de bloqueio em Biguaçu nesta quinta-feira (9)
Polícia intermediou a saída dos manifestantes no ponto de bloqueio em Biguaçu nesta quinta-feira (9) (Foto: Antônio Neto/NSC TV)

Já passou da hora. As forças de segurança precisam desobstruir as estradas ainda bloqueadas parcialmente em Santa Catarina. O efeito cascata dessas paralisações é devastador. Embora tenham reduzido para quatro pontos na manhã de sexta-feira (10), localizados na BR-280, nos quilômetros 230 e 235; BR-281, km 345 e no km 7 da BR-116, o dano já é real e quanto mais o tempo passa maior o efeito cascata em vários setores da sociedade.

Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

Embora o bloqueio seja apenas para caminhões, aí está a maioria da produção e insumos brasileiros sendo transportados.

Já passou da razoabilidade. O direito de ir e vir do cidadão foi vilipendiado.

A polícia utiliza a técnica do uso progressivo da força. Inicia no diálogo e negociação mas, se precisar, a força não pode ser descartada. Evidente que a sociedade espera uma solução negociada e pactuada, sem violência. Entretanto, qual o recado que passa quando chegamos ao quarto dia de bloqueios nas estradas? Cabe às autoridades de segurança resolverem imediatamente esse problema.

O diretor-executivo da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) e Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne-SC), Jorge Luiz de Lima, afirmou, em entrevista À Rádio CBN Diário nesta quinta-feira (9), que já há falta de insumos essenciais. Grãos não estão chegando nas agroindústrias, o que prejudica na produção de ração animal. Da mesma forma, a amônia, necessária para os sistema de armazenagem, não está chegando.

“Não podemos mais ter estocagem. Não vamos mais retirar animais do campo pois eles podem ficar sem ração. Isso pode acarretar no processo de abate. Há possibilidade de perdermos o animal para o abate sanitário pois ele cresce e passa do tempo de abate na agroindústria”, afirmou o executivo.

O desconforto gerado aos motoristas, as filas, o impacto nos preços, prazos de contratos de exportação com risco de serem desrespeitados, a falta de combustíveis (deve ser resolvida nesta sexta-feira) e o risco de desabastecimento. São problemas reais em um país que já enfrenta inflação em alta, desemprego, crises hídrica e política, 

O momento pede para que as autoridades de segurança resolvam o problema imediatamente.

Leia Mais:

Empresa catarinense vai fardar a Polícia Federal em todo Brasil

População da Grande Florianópolis cresce o dobro da média nacional e liga sinal de alerta

Possibilidade de mudança no Contorno Viário gera preocupação

SC Mais Renda tem suspeita de fraude envolvendo 2,3 mil pessoas

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas