nsc
nsc

Cidade

Bairro de Florianópolis sobe limite de prédios de 2 para 16 andares com mudança no Plano Diretor

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
10/01/2022 - 05h32 - Atualizada em: 10/01/2022 - 18h03
Plano Diretor de Florianópolis em discussão
Plano Diretor de Florianópolis em discussão (Foto: Cristiano Estrela / NSC Total)

Os ajustes no Plano Diretor de Florianópolis preveem um adensamento populacional e mais andares de prédios, mediante incentivos, em vários bairros. Em partes de Coqueiros, onde se permitem dois, muda para 16 pavimentos; no Santa Mônica e Jardim Anchieta, salta de dois para oito andares; em partes do Campeche, um adensamento dez vezes superior ao atual; e em Jurerê Internacional, de dois para oito andares. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

>SC pode ter concessão de estradas sem praça de pedágio

A projeção foi feita, a pedido da coluna, pelo arquiteto e urbanista Gustavo de Andrade, professor de urbanismo da Udesc e membro do Conselho da Cidade entre 2018 e fevereiro de 2021. A prefeitura alega que mapas e zoneamentos não serão modificados, que as mudanças incentivam as centralidades nos bairros e estimulam empreendimentos de moradia social, e diz que não haverá mudanças no limite dos prédios - leia nota abaixo.

Coqueiros

Uma extensa área do bairro de Coqueiros, onde estava prevista a chamada Operação Urbana Continente, terá o seu gabarito (número máximo de pavimentos), ampliado de 2 para 16 pavimentos. O aumento poderá ocorrer com a revogação do parágrafo único do artigo 129 do Plano Diretor atual, que condiciona o adensamento da região à construção de diversas infraestruturas no bairro, que deixariam de ser obrigatórias.

Santa Mônica e Jardim Anchieta

Bairros como Santa Mônica e Jardim Anchieta, hoje caracterizados por residências de no máximo dois andares, poderão receber edifícios de apartamentos e construções de até 8 andares, com a alteração dos parâmetros de zoneamento do Plano Diretor.

Embora a região tenha boa infraestrutura urbana e proximidade com o centro, algumas associações de moradores dos bairros têm sido tradicionalmente contrárias à mudança do caráter residencial e de baixa densidade, que consideram adequada à preservação ambiental e paisagística da área, próxima ao mangue do Itacorubi.

Campeche

Além da possibilidade de aumento de gabarito, a alteração do Plano Diretor facilitará a urbanização de uma extensa área do Campeche conhecida como "planície entremares", identificada com o zoneamento AUE (Área de Ocupação Específica) e que teria seus limites de ocupação alterados. O Plano Diretor atual limita e restringe consideravelmente a sua ocupação devido às restrições ambientais e suscetibilidade à inundação da região, que na proposta receberia um adensamento dez vezes maior que o permitido atualmente. A manutenção de um gabarito baixo e as restrições ambientais à ocupação foram questões fortemente reivindicadas por moradores e associações do Campeche e suscitou grande polêmica nas discussões que antecederam o Plano Diretor atual, de 2014. O bairro, que tem apresentado um crescimento acelerado nos últimos anos, possui um sistema viário desarticulado e insuficiente, que resulta em problemas de mobilidade urbana que podem ser agravados se o adensamento não for acompanhado da melhoria das infraestruturas.

Jurerê Internacional

O exclusivo bairro de Jurerê Internacional poderia receber edifícios de apartamentos com vários andares, nas quadras do bairro onde hoje são permitidas apenas residências unifamiliares. O aumento de gabarito seria possível mediante a utilização combinada de incentivos incluídos na nova redação do artigo 64 e do anexo F01 do Plano Diretor. Além do aumento de gabarito, uma grande área de Jurerê identificada com o zoneamento AUE, para qual inclusive já existe um projeto, poderia ser urbanizada com um adensamento dez vezes superior ao permitido atualmente. Sendo que as alterações propostas se referem principalmente a mudança de parâmetros de zoneamentos, não necessariamente a bairros específicos, os mesmos fenômenos citados podem ocorrer nos demais bairros de Florianópolis.

Audiências Públicas

A Prefeitura de Florianópolis vai realizar mais 13 Audiências Distritais sobre o Plano Diretor além das já divulgadas. Elas acontecerão no dia 22 de janeiro, exclusivamente de maneira online. Antes disso, no próximo sábado (15), serão realizadas as 13 audiênciais presenciais nas comunidades. 

Ouça a entrevista do arquiteto e urbanista Gustavo de Andrade, professor de urbanismo da Udesc, ao programa Condomínio Legal:

Contraponto

A prefeitura de Florianópolis não concorda com a interpretação feita pelo arquiteto e urbanista Gustavo de Andrade, professor de urbanismo da Udesc. O executivo municipal afirma que não vai haver o “salto” de pavimentos em alguns bairros, como dito pelo professor Andrade.

Confira a nota da prefeitura:

Leia Mais:

Festa com churrasco e chopp em quartel de SC é investigada pelos Bombeiros

Intimidação por atestado médico em SC: "Sempre foi assim”, diz CRM

Usina de carvão de SC quer neutralizar emissão de carbono até 2040, 10 anos antes da meta

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas