nsc
nsc

Economia e meio ambiente

Usina de carvão de SC quer neutralizar emissão de carbono até 2040, 10 anos antes da meta

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
07/01/2022 - 06h51
Usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, Santa Catarina
Usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, Santa Catarina (Foto: Reprodução NSC TV)

A indústria do carvão de Santa Catarina pretende antecipar a neutralidade de carbono dez anos antes da meta. A afirmação foi feita pelo presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral, Fernanda Luiz Zancan, em entrevista à CBN Diário.

— O compromisso do Brasil é chegar em 2050 com carbono zero, mas na Usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, devemos antecipar a meta para 2040. Numa escala de zero a dez, estamos no 7 na busca desse objetivo. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

> Festa com churrasco e chopp em quartel de SC é investigada pelos Bombeiros

Lei sancionada nesta quinta-feira (6) pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) prorrogou por mais 15 anos os contratos de venda de energia elétrica de usinas movidas a carvão mineral. Isso inclui o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo, no Sul de Santa Catarina.

A medida vale a partir de janeiro de 2025 e segue até 2040. 

— Isso representa a manutenção de 20 mil empregos e os R$ 5 bilhões na economia do Sul. Nós teremos o primeiro programa de transição energética da Usina Carbonífera de Santa Catarina para uma indústria de alto para baixo carbono — completa Zancan.

A lei sancionada nesta quinta-feira recebe críticas de ambientalistas, que avaliam que o uso de termelétrica pode comprometer o meio ambiente e agravar ainda mais a crise hídrica no Brasil.

Ouça a entrevista com Fernando Luiz Zancan, presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral:

Leia Mais:

SC aposta em campanha de prevenção à Covid para as pessoas “caírem na real”

Governo de SC faz reunião de emergência para tratar do novo cenário da pandemia

Filas no trânsito de Florianópolis têm solução? Veja as medidas para resolver

Gestão privada e política fiscal agressiva explicam os R$ 2 bi em importações no aeroporto de Florianópolis

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas