nsc
    nsc

    Alesc

    Carlos Moisés tenta na Justiça suspender processo de impeachment

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    05/08/2020 - 17h10
    Moisés tenta mudar o rito do impeachment nas Alesc
    Moisés tenta mudar o rito do impeachment nas Alesc (Foto: Gabriel Lain / NSC Total)

    O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, ingressou nesta quarta-feira (5) no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ/SC) com mandado de segurança para suspender o processo de impeachment já iniciado na Assembléia Legislativa. O advogado Marcos Probst sustenta a tese de que o ato da mesa da Alesc que regulamentou o rito do processo é inconstitucional. Probst aponta que o que os parlamentares divulgaram é diferente da Lei Federal 1.079/50, que define os crimes de responsabilidade e regula o respectivo processo de julgamento, e a própria jurisprudência do Supremo Tribunal Federal.

    >O cenário do impeachment de Carlos Moisés

    Segundo ele, a Alesc suprimiu uma das fases do processo. Pelo rito divulgado pela Alesc, a admissibilidade da representação contra o governador por dois terços dos 40 deputados já seria o suficiente para afastar do cargo o atual comandante do Centro Administrativo. 

    >Contorno da Grande Florianópolis tem novo prazo; obra terá mais R$ 1 bilhão em gastos e 11 anos de atraso

    Probst argumenta que o entendimento do STF é diferente: primeiro é preciso a admissibilidade em plenário por 2/3 dos parlamentares. Após, o governador teria 20 dias para sua contestação, podendo chamar testemunhas de defesa, inclusive. Somente após esta etapa, com um novo parecer sobre o processo, há um novo julgamento no plenário para decidir se há procedêncua na acusação. Caso, novamente houver a aprovação do parecer, será promulgado um decreto legislativo para a criação de um Tribunal Especial, com cinco deputados e cinco desembargadores. Somente após esta segunda etapa que o chefe do Poder Executivo poderia ser afastado do cargo, sustenta Probst. 

    A ideia da defesa não é cancelar o processo de impeachment. É corrigir o rito, considerado equivocado pela defesa de Carlos Moisés. Claro que, nesse intervalo, Moisés ganha mais tempo para ampliar sua base de apoio e se manter no cargo. 

    >Comissão do impeachment na Alesc começa a ser formada; veja os primeiros nomes

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas