nsc
nsc

Saúde

Com fila de 100 mil pacientes, SC fará mutirão de cirurgias eletivas

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
08/09/2021 - 06h31
Cirurgias eletivas
Cirurgias eletivas (Foto: Mario Tama / Getty Images North America / Getty Images via AFP)

A secretaria de Saúde (SC) prepara um mutirão de cirurgias eletivas para reduzir a fila que cresceu 60% durante a pandemia do novo coronavírus. Atualmente, são mais de 100 mil pacientes que aguardam pelo procedimento. A lista histórica é de 63 mil pessoas, mas esta aumentou 60% na pandemia, com o ingresso de 40 mil pessoas.

Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

Segundo o secretário da pasta, André Motta Ribeiro, será realizado um mutirão de cirurgias eletivas a partir de novembro. “Serão 18 meses em seis. A ideia é realizar 40 mil procedimentos, que é justamente o número que subiu durante a pandemia quando os hospitais suspenderam as eletivas e estavam focados e estruturados no atendimento Covid-19”, explicou o secretário.

Não serão contempladas, necessariamente, as 40 mil pessoas que ingressaram com a solicitação no período da pandemia. Será feito o resgate histórico cruzando os dados com a lista das prioridades.

As cirurgias eletivas foram retomadas no dia 13 de maio. Os procedimentos devem ocorrer tanto nos hospitais da administração direta como também nos hospitais filantrópicos.

Leia Mais:

População da Grande Florianópolis cresce o dobro da média nacional e liga sinal de alerta

Possibilidade de mudança no Contorno Viário gera preocupação

SC Mais Renda tem suspeita de fraude envolvendo 2,3 mil pessoas

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas