nsc
nsc

Preocupação

“Covidário Brasil”, desabafa infectologista de Joinville sobre colapso na saúde

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
08/03/2021 - 05h08
Colapso na Saúde
Colapso na Saúde (Foto: lberto Pizzoli, AFP)

O infectologista Luiz Henrique Melo, de Joinville, fez um desabafo em sua rede social que viralizou, também, em grupos de WhatsApp. O médico aponta um sistema hospitalar em colapso em Santa Catarina e que nós não aprendemos nada. Alerta, ainda, que não há mais leito nem para ricos ou pobres, critica magistrados que derrubam restrições e esclarece que não existe tratamento precoce.

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Confira:

Refleti muito antes de escrever esse texto, podem acreditar. O fato é que com a progressão da contaminação da Covid-19 e suas variantes (cada vez mais contagiosas e letais, para jovens inclusive) o sistema de saúde está colapsando e senti a necessidade de manifestar algumas das minhas constatações.

A primeira é que, passado um ano da tragédia na Itália, parece que não aprendemos nada. Nem a tragédia em Manaus nos ensinou alguma coisa.

A segunda é que, com o aumento do número de contaminados e falta de UTIs, o vírus se tornou "democrático". Não importa mais se você é pobre ou rico, não vai ter UTI.

A terceira é que alguns juízes, que seguem dando liminares bumerangue contra as medidas de contenção, ignorando que, se e quando eles, ou algum familiar seu contrair o vírus e vir a precisar de uma UTI, a liminar concedida se voltará contra eles.

A quarta constatação é que, passado um ano e dezenas de pesquisas sérias, ainda tem gente que acredita que remédio contra piolho, lombriga e malária serve pra matar o coronavírus. Pior ainda, tem médicos estimulando sua utilização e, muitos deles, ostentando que não perderam nenhum paciente após usar o tratamento precoce. Na verdade apenas enxergam os casos que não complicam, pois, quando os pacientes agravam, não voltam pra eles no consultório de onde alardeiam suas pajelanças. Morrem no hospital, e quem assina o atestado de óbito é um profissional da saúde exausto, desesperançado e de saco cheio da politização do tratamento. Não existe tratamento precoce, ponha na sua cabeça. O que existe é equipe preparada com condições de atender e salvar vidas quando a doença complica. Acontece que agora as condições estão indo pras cucuias.

A última constatação: lockdown não funciona no Brasil, é fato. Não funciona no Brasil, porque criamos o "lockdown jabuticaba" (só existe aqui). É parcial, sempre existe um jeitinho de burlá-lo, uma falta de consciência em evitar aglomerações, em deixar de lado as coisas que gostamos de fazer mas o momento não permite. Sem disciplina, lockdown é piada. Aliás, se tivéssemos disciplina, não precisaríamos de lockdown. Paradoxal isso.

Não esqueci dos espertinhos e sabidões também. Eles são os Talibans biológicos. O vírus se aproveita deles para se multiplicar e atingir não só eles, mas todos ao seu redor. Sim, espertinhos e sabidões são egoístas, não têm empatia nem solidariedade.

Lembra que, no começo da pandemia, muita gente compartilhou uma lista de doenças que matavam mais que a Covid ? Só pararam quando a realidade se impôs. Mas seguem soltando outras fake news, um vírus tão ruim quanto o corona. Aliás, o corona adora fake news. Elas criam o ambiente perfeito para ele se reproduzir.

O Brasil virou um covidário. Nossa incapacidade em entender e seguir a ciência, está fazendo o vírus mutar e se transformar em um agente cada vez mais perigoso e mortal. Vamos virar párias internacionais, um laboratório gigante de um darwinismo distópico.

E há as mortes, que vão aumentar muito, e não será só pela Covid-19 não. Isto não é pessimismo nem alarmismo, é mais pura realidade. Com o colapso do sistema de saúde, se por azar você tiver qualquer doença ou trauma que tenha tratamento mas exija atendimento em terapia intensiva será improvável encontrar uma vaga. Bem-vindo à Idade Média.

E para os incautos que pedem mais UTIs e hospitais de campanha, é importante lembrar que não tem mais profissionais de saúde e com saúde, para atuar nesses lugares. Pode criar mais 5000 leitos de UTI. Não tem quem " toque o lodjinha", talkey ?

E o pior ainda vem por aí. Já sabemos que a mutação brasileira aumenta a possibilidade de reinfecção e a comunidade científica está temendo que escape também da vacina. Esse é o covidário Brasil.

Isso tudo que falei está todos os dias na internet, nos jornais e na realidade de muitas pessoas que estão vivendo, sofrendo e morrendo na pandemia. Mas os espertinhos e sabidões, os cientistas do Facebook, os entendidos do WhatsApp, os lacradores do Instagram, esses só vão cair na real quando um parente seu morrer dentro de casa, sem ar, mas com o bucho cheio de azitromicina, cloroquina, ivermectina e vitaminas de A a Z.

Hoje, o Brasil tem 10 milhões de casos confirmados e 250 mil mortes. Os EUA tem 30 milhões de casos e 600 mil óbitos. Faça uma continha básica e verá que o Covid aqui está matando mais que lá com um agravante: aqui a vacinação está em passos de cágado, enquanto lá, de trem-bala. E ainda nem chegamos perto do fundo do poço.

Desde a minha infância, aprendi que o Brasil é o país do futuro, e agora este futuro parece tenebroso, pois ainda teremos muitos dias tristes e sombrios. E estamos fazendo por merecê-los. Imagino como estaríamos se o brasileiro não fosse um povo cordial e solidário.

Leia mais:

Prefeituras de SC esperam 3 milhões de doses da vacina Sputnik até o fim de março

A narrativa das mentiras e desinformação em meio ao caos na pandemia

Renúncia no Conselho da Cidade enfraquece o debate em Florianópolis

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas