O Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICOM) renunciou de sua participação no Conselho da Cidade. O desconforto é decorrente do desgaste fruto do projeto que alterava o plano diretor da cidade e que ficou de fora da minirreforma encaminhada pela prefeitura à Câmara de Vereadores. Agora, um  novo texto foi proposto ao conselho para que fosse apreciado em 15 dias. O ICOM considera o prazo curto e preferiu sair da discussão. 

Continua depois da publicidade

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Trata-se de uma importante entidade técnica da sociedade civil organizada. O Conselho da Cidade é um instrumento de gestão democrática da cidade previsto no Plano Diretor, no qual representações do poder público e dos diversos segmentos da sociedade têm a oportunidade de discutir a maneira mais adequada de promover o desenvolvimento urbano da sua região. O órgão foi criado pela Lei Complementar n° 482/2014 e instituído em 2018 pelo Decreto Municipal n° 18.279/2018. 

No ano passado, o Observatório Social de Florianópolis pediu para sair do Conselho Municipal de Transparência e Combate à Corrupção pois o mesmo não é paritário e a percepção é de que faltava boa vontade nas demandas solicitadas. Quando instituições sérias saem do debate sobre temas estratégicos a cidade perde.

Leia mais:

Continua depois da publicidade

Prefeituras de SC esperam 3 milhões de doses da vacina Sputnik até o fim de março

A narrativa das mentiras e desinformação em meio ao caos na pandemia

Piloto desaparecido há mais de um mês é encontrado com vida em região de mata do Pará

Indígena relata dificuldade para registrar nome da filha em Blumenau; caso vai parar no MPF

Destaques do NSC Total