nsc
nsc

Florianópolis

Greve da Comcap enfraquece com contratos de terceirizados

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
24/09/2021 - 11h25
Trabalhadores paralisaram as atividades na manhã desta terça
Trabalhadores paralisaram as atividades na manhã desta terça (Foto: Sintrasem/Divulgação)

A Comcap, que presta um serviço de boa qualidade em Florianópolis, enfraquece a cada dia que avança a greve iniciada na última terça-feira (21). E a explicação é muito simples e objetiva. Até então, nas recorrentes paralisações, a cidade ficava sem recolhimento de resíduos, provocando acúmulo de lixo nas calçadas. Isso, evidentemente, sempre provocou um desgaste muito grande da prefeitura e a pressão por resolver o problema.

Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

Agora, com a terceirização, a pressão pelo fim da greve não é tão grande. O serviço de coleta de lixo pelas empresas contratadas pela prefeitura teve início no Norte da Ilha e no Continente, chegando mais tarde nas regiões Centro, Leste e Sul. O recolhimento de lixo pode não estar perfeito, mas a cidade está longe do problema de outras paralisações.

Não se está aqui comparando os serviços e tampouco afirmando que são da mesma qualidade. O ponto, agora, não é este, mas sim, compreender que, o trabalho de recolhimento de lixo não foi 100% interrompido. Pelo contrário, as terceirizadas ocupam um espaço, até então da Comcap. Mesmo que não com a mesma qualidade, mas, ao menos, a cidade e seus contribuintes moradores, não sentem como antes o mesmo desconforto das greves na Comcap.

A aposta que o prefeito Gean Loureiro fez é alta e calculada. Evidente que o mandatário municipal contabilizava os efeitos do desgaste de um previsível e lamentável confronto, mas calculou que valia a pena correr riscos. A narrativa da prefeitura tem lógica e racionalidade. Se conseguir fazer o mesmo serviço gastando a metade, sobram mais recursos para saúde, educação e infraestrutura, por exemplo. É matemático.

A questão é: o serviço será da mesma qualidade da Comcap? A economia prometida é essa mesmo?

Que o controle social seja exercido, tanto através dos órgãos públicos, Câmara de Vereadores e entidades.

Leia Mais:

Florianópolis pode contrair meio bilhão em empréstimos para obras; veja quais

SC vai ter pedágios em 24 rodovias estaduais; veja os locais

Dinheiro de SC nas BRs 470, 280 e 163 vai baixar preço do pedágio

Secretária nacional explica plano de concessões de estradas em SC

Mercado Público de Florianópolis exige gestão privada

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas