nsc
    nsc

    Polêmica

    Juiz de Joinville nega que pediu prioridade para presos tomarem vacina contra Covid-19

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    22/01/2021 - 09h32
    Vacinação de presos gera polêmica
    Vacinação de presos gera polêmica (Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina)

    O juiz da vara de execuções penais em Joinville, João Marcos Buch, publicou vídeo em seu perfil no Facebook em que afirma ser mentira o que circula em rede social de que ele teria pedido prioridade de vacinas para os presos. O magistrado afirma que trata-se de “fake news e não procede”.

    Segundo Buch, ele pediu informações ao governo do Estado para saber se os presos estarão em grupos prioritários da mesma forma que profissionais de saúde, segurança, ribeirinhos, idosos e professores. E, neste sentido, se houver produção em larga escala, pede que os presos sejam incluídos, da mesma forma como ocorre na campanha do vírus H1N1.

    >Defesa Civil de Florianópolis segue em alerta para risco de novos alagamentos

    Ele explica, ainda, que imunizar os presos é proteger toda a sociedade, no sentido de que há contato de presos com agentes penitenciários e familiares, por exemplo. É uma “bomba biológica”, afirma.

    Esclarecimento

    Juiz diz que foi vítima de fake news

    Na terça-feira (19), o magistrado requisitou à Secretaria de Estado da Administração, dando prazo de cinco dias, informação sobre a vacinação contra a Covid-19 da população prisional, em específico de Joinville. Ele citou que “tem conhecimento de que o Ministério da Saúde estabelece as diretrizes, mas que isso não impede que o estado de Santa Catarina a partir delas, concorrentemente, equacione a campanha à realidade local e nela inclua as pessoas privadas de liberdade”.

    >Parecer da Câmara de Florianópolis barra projeto que muda Plano Diretor

    O assunto também mobilizou a Defensoria Pública de Santa Catarina. Na quarta-feira (20), a defensora pública Júlia Gimenes Pedrollo, do do Grupo de Apoio às Pessoas em Vulnerabilidade - GAPV, da Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina, enviou ofício ao governador Carlos Moisés da Silva, ao secretário da Saúde, André Motta Ribeiro, e ao secretário de Administração Prisional, Leandro Soares Lima, solicitando informações sobre como será procedido o atendimento do plano de vacinação contra a Covid-19 dentro das unidades prisionais.

    >Governo de Santa Catarina pede ajuda a empresários por carnaval seguro

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas