nsc
nsc

Crédito e débito

Justiça de SC suspende lei que permite pagamento de pedágio com cartão

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
23/08/2021 - 06h49 - Atualizada em: 23/08/2021 - 10h04
Pedágio em SC
Pedágio em SC (Foto: CCR Via Costeira / Divulgação)

A justiça de Santa Catarina suspendeu os efeitos da lei estadual já sancionada pelo governador Carlos Moisés da Silva que garante ao motorista o pagamento de pedágio com cartão de crédito de qualquer bandeira. A decisão é da desembargadora Denise Volpato e foi proferida na última sexta-feira (20). Segundo ela, “há inconstitucionalidade formal por vício de iniciativa”.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A magistrada ponderou que é possível norma estadual mesmo em concessões federais, ficando no âmbito de proteção ao consumidor. 

Entretanto, cita a necessidade de “diferenciar se a norma interfere em aspecto primordial do contrato, como o modo de prestação do serviço, indicadores de qualidade, e preço, ou unicamente protege o consumidor de práticas comerciais de todo alheias ao núcleo central do contrato de concessão(...)o pagamento mediante cartão de crédito não se opera sem a aplicação de investimento em tecnologia - por menor que possa ser em comparação aos demais custos do negócio -, treinamento de funcionários, e principalmente mediante remuneração de intermediadoras do pagamento (gateways, adquirente, subadquirente). Sob o prisma financeiro, ainda, convém destacar que o pagamento mediante cartão igualmente importa em alteração do fluxo de caixa, na medida que o recebimento pelo fornecedor do serviço não é instantâneo”.

>Lei federal deve garantir pagamento de pedágio no cartão

Ela aponta, ainda, que o pagamento mediante cartão de crédito tem o potencial de representar complicador ao fluxo de veículos nas praças de pedágio das rodovias federais. 

Afirma a desembargadora que aceitar todas as bandeiras de cartão ultrapassa o limiar da razoabilidade e que há potencial de provocar “concretos efeitos nefastos à paz social (...) tem o condão de provocar filas e, possivelmente, comoção dos demais usuários (seja para com o cidadão que pretende se valer de determinado meio de pagamento ou contra a concessionária de serviço público), em afronta à própria segurança das pessoas e adequação do serviço”

O governador Carlos Moisés e a Alesc têm 30 dias para prestarem informações.

O curioso é que a CCR Via Costeira, detentora da concessão do trecho sul da BR-101 já estava aceitando os cartões. Já a Arteris, que opera no trecho norte, foi à justiça e não estava aceitando o pagamento em crédito ou débito. 

Leia mais:

Após doar R$ 450 milhões, SC procura Guedes para abater dívida com União

SC é desprestigiada por Brasília na distribuição de verbas; veja números

Precatórios: institucionalização do calote no Brasil e em SC

O impacto do novo piso salarial dos professores em SC

Superlotação e "condições degradantes": presídio de Joinville volta ao debate após decisão de juiz

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas