nsc
    nsc

    Online

    Maioria da população está insatisfeita com serviços digitais dos órgãos públicos, diz pesquisa

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    31/07/2020 - 08h36 - Atualizada em: 31/07/2020 - 09h20
    Serviços eletrônicos auxiliam durante a pandemia
    Serviços eletrônicos auxiliam durante a pandemia (Foto: Diogo Sallaberry, Agência RBS)

    Uma pesquisa aponta a insatisfação de 63% dos brasileiros com os serviços digitais oferecidos pelos órgãos públicos nas três esferas, tanto federal, estadual e municipal . O trabalho realizado pela catarinense Softplan, que entrevistou 200 pessoas, mostra que as críticas ocorrem em todas as cinco regiões do país.

    Especificamente sobre prefeituras, a maior parte (62%) dos entrevistados conhece os serviços online disponibilizados pela administração municipal e informou (67%) ter usado em 2020 algum deles no município onde mora. Com relação à satisfação em relação a experiência, houve praticamente um empate entre os que relataram indiferença (42%) e os insatisfeitos (40%).

    >SC tem o mais alto índice de ocupação de UTIs da pandemia; taxa chega a 82,9%

    Os entrevistados também responderam onde eles acham que os serviços digitais precisam melhorar. As pessoas querem que sejam priorizadas as digitalizações do agendamento de consultas médicas (44%), emissão de documentos (30%), educação a distância (6%) e fiscalização de obras (15%). Elas desejam serviços que evitem a necessidade de deslocamentos.

    Transparência

    Serviços online voltados à transparência e economia nos gastos públicos ficaram nas últimas posições das prioridades dos entrevistados. Tal fato mostra o grau de desconhecimento de parte da população, que não se dá conta de que quanto maior for a transparência, maior o controle social e menor o espaço para a má aplicação do recurso público, seja através da corrupção ou gasto inútil. E quanto maior a transparência, mais recursos sobram para a aplicação, aí sim, naqueles serviços que são apontados como prioritários pela população.

    Governo Eletrônico

    Um estudo realizado por pesquisadores em governo eletrônico do Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppeard/UFRJ) concluiu que inúmeros projetos de digitalização de processos que estavam engavetados foram adaptados em um curto prazo para que alguns serviços à população não ficassem totalmente parados durante as restrições impostas pela pandemia. Entretanto, notaram que eles precisam melhorar, serem mais acessíveis e rápidos.

    >Reforma da previdência em SC virá mais dura em 2021

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas