nsc
nsc

Futebol

Vitórias de Avaí e Brusque na Série B e o adeus do JEC na Série D

Compartilhe

Roberto
Por Roberto Alves
02/10/2021 - 20h19
botafogo-avai-serie-b-2
Bruno Silva, ex-jogador do Botafogo, marcou o gol que garantiu a vitória do Avaí no Rio de Janeiro (Foto: André Fabiano, Folhapress)

O sábado foi agitado para as toridas em Santa Catarina, com três times em campo. Na Série B do Brasileiro, Avaí e Brusque estiveram em ação. E pela Série D, o Joinville teve compromisso importante.

No Vale do Itajaí, o Brusque conquistou uma vitória importante, com as mesmas dificuldades de sempre. Foi a segunda vitória seguida após a chegada de Waguinho Dias para comandar o quadicolor. A vitória foi na medida, mas o time não fez uma boa partida.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O Guarani viajou até o Vale do Itajaí em busca do triunfo, mas esbarrou no bom esquema defensivo brusquense. Novamente, o atacante Edu fez a diferença. Com um gol de pênalti, o camisa 9, que disputou a 50ª partida com a camisa do clube, abriu o caminho para o resultado final. O atacante marcou mais um gol e decretou o 2 a 0.

edu-brusque-guarani-serie-b-brasileiro
Atacante Edu marcou os dois gols da vitória do Brusque neste sábado
(Foto: )

O resultado impediu o time de Campinas (SP) alcançar o Avaí na tabela de classificação e melhorou bastante a posição da equipe quadricolor. Com 32 pontos, o Brusque vê o Z-4 um pouo mais distante

No Rio de Janeiro, Botafogo e Avaí fizeram um jogo cheio de altos e baixos. Um primeiro tempo de pouca qualidade com chances limitadas e muito erros de passes. De qualquer sorte, foi um primeiro tempo em que o Avai teve leve superioridade sobre o Botafogo. No segundo tempo, sim, o jogo aconteceu mostrando porque os dois times são candidatos ao acesso a Série A.

Apareceu a reclamada qualidade, os gols, os erros diminuíram, mas o Avaí acabou tomando o gol numa falha coletiva da defesa, em cobrança de escanteio do adversário. O ultimo a tocar de cabeça na bola foi o zagueiro Alemão e Gledson poderia ter antecipado, em uma saída do gol com soco na bola.

Como a fase é boa, o Avai empatou em um cruzamento de Jean Cleber e virou o jogo num toque coletivo de meio time para fazer a virada pelo Bruno Silva. Mais uma vez, a importância dos jogadores experientes foi fundamental. Grandes atuações de Betão, Bruno Silva, Edilson e no final Valdivia e Jadson contribuiram muito.

botafogo-avai-serie-b
Jogo foi muito marcado pelo equilíbrio e muita disputa no Estádio Nilton Santos
(Foto: )

Uma vitória extraordinaria do Avaí na casa do Botafogo, provocando forte desentendimento entre o técnico Enderson Moreira e a torcida alvinegra. No gol da vitória, Bruno Silva homenageou a esposa, mandando beijos e o tradicional te amo.

No próximo jogo, terça-feira, dia 5, às 19h, na Ressacada, terá a Ponte Preta como adversária. O tamanho dessa vitória diante do Botafogo indica maior presença de grande público.

> Veja outras colunas de Roberto Alves

Enquanto isso, o Joinville fez o dever de casa no tempo regulamentar com uma boa vitória diante do Uberlandia-MG por 2 a 1. Porém, o resultado não foi o suficiente para garantir o tricolor do Norte do Estado na próxima fase da Série D do Brasileiro.

joinville-uberlandia-serie-d-brasileiro
O time catarinense venceu no tempo normal, por 2 a 1, mas acabou superado pelo time mineiro nos pênaltis
(Foto: )

Como os mineiros haviam vencido o primeiro jogo por 1 a 0, a vaga nas quartas de final foi decidia na cobrança dos pênaltis. E aí, o JEC fracassou. Foi derrotado por 3 a 1 e acabou eliminado. O time não tem vaga garantida na Série D de 2022.

Leia também:

> O cérebro de um time

> A queda do futebol catarinense

Roberto Alves

Colunista

Roberto Alves

Referência por resgatar a memória do Esporte catarinense, fatos do dia a dia e pitorescos, misturando bom humor e seriedade na dose certa.

siga Roberto Alves

Roberto Alves

Colunista

Roberto Alves

Referência por resgatar a memória do Esporte catarinense, fatos do dia a dia e pitorescos, misturando bom humor e seriedade na dose certa.

siga Roberto Alves

Mais colunistas

    Mais colunistas