A polêmica provocada pela posição da direção nacional do Novo em apoiar a abertura do impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro repercutiu na Câmara de Joinville e motivou até inusitados convites ao prefeito Adriano Silva para trocar de partido. No final de tarde desta terça-feira, Adriano e a vice-prefeita Rejane Gambin divulgaram nota alegando que eventual opinião deles neste momento sobre o tema seria “precipitada”.

Continua depois da publicidade

> Único prefeito do Novo, Adriano se manifesta após posição do partido em relação a impeachment

> Bolsonaro deverá ter encontro com empresários em Joinville no início de agosto

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O vereador Wilian Tonezi (Patriota) foi o primeiro a convidar Adriano e os três vereadores do Novo a “abandonarem” o partido e se filiarem ao Patriota. Para Tonezi, o Novo faz um “papelão” ao apoiar o impeachment de Bolsonaro. O vereador lembrou que, em questões partidárias, nem sempre políticos da base concordam com posições de correligionários da esfera federal. Tonezi também fez defesa do governo Bolsonaro. “Saiam (bancada de vereadores e prefeito) do partido Novo e venha se filiar ao Patriota, porque nós vamos, sim, apoiar nosso presidente e lutar pelo Brasil de verdade, Brasil de direita, que precisa crescer”.

Continua depois da publicidade

Integrante da oposição, Sidney Sabel adotou tom mais provocador. Para o vereador do DEM, a posição do Novo é uma “bomba no colo” do prefeito. Sabel alega que a posição do partido na esfera nacional poderá trazer prejuízos na relação do governo federal com a administração municipal. “Digo mais, vereadores do Novo e prefeito Adriano, vêm para o DEM, vocês também”, ironizou. Com sorrisos, Alisson Julio (Novo), agradeceu aos convites.

Destaques do NSC Total