nsc
nsc

Mobilidade

Com mais um projeto, duplicações pretendidas por Joinville têm custo de R$ 211,5 milhões

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
31/07/2021 - 09h52
Santos Dumont foi a última via duplicada em Joinville, com conclusão em 2018
Santos Dumont foi a última via duplicada em Joinville, com conclusão em 2018 (Foto: Mauro Schkieck, CVJ, Divulgação)

Com a inclusão de mais um projeto, em trecho da Marquês de Olinda, a lista de duplicações pretendida pela prefeitura de Joinville tem custo estimado em R$ 211,5 milhões. A relação tem as ruas Almirante Jaceguay, Ottokar Doerffel e segmento da Santa Dumont, além da Marquês. A prefeitura de Joinville também está tentando convencer o governo do Estado a duplicar a Dona Francisca no trecho entre a rótula do Tecelão e a rotatória da Schulz e Whirlpool. O trecho da Dona Francisca até a BR-101 está em fase de projeto, contratado pelo governo do Estado. A única obra de duplicação em andamento em Joinville é nas rodovias Hans Dieter Schmidt e Edgar Meister, bancadas pelo Estado.

> Joinville busca R$ 715 milhões para mobilidade e infraestrutura; confira lista de projetos

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

A duplicação da Marquês de Olinda reapareceu na lista de projetos de infraestrutura e mobilidade levados na viagem a Brasília de Adriano Silva, para agenda em ministérios. O prefeito de Joinville foi atrás de dinheiro para um conjunto de obras, um pacote estimado em R$ 715 milhões.

A duplicação da Marquês, uma ligação Norte-Sul de Joinville, seria a etapa seguinte após a abertura da avenida, concluída em 2005, em uma das mais importantes obras viárias da cidade nas duas últimas décadas. A proposta era ambiciosa, de construção de mais pistas entre a rua Vice-prefeito Luiz Carlos Garcia até a Anita Garibaldi. A via troca de nome ao longo do trajeto de 6,5 km.

Além da duplicação, era abordado também, nos anos 2000, a possibilidade de uma nova ligação, ao final da continuação da Marquês de Olinda, com a rua Graciosa, ainda mais ao Sul, proposta já descartada. Mas o projeto da duplicação está de volta, ainda que seja improvável que saia do papel. O plano é duplicar a Marquês mais ao Norte, em duas etapas. A estimativa é que o trecho 1 custe R$ 50 milhões e o trecho 2 saia por R$ 17,5 milhões. Há outras obras viárias mais adiantadas na busca de recursos, como pontes e duplicações.

> Prefeitura de Joinville quer cronograma para horários de passagem do trem

> Sai liminar em ação da prefeitura de Joinville sobre obras do rio Mathias

> A inspiração de Joinville para a retomada do transporte de passageiros pelo trem

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas