nsc
nsc

Propaganda

Eleições 2020 em Joinville: como se saíram os candidatos na estreia, em horário eleitoral de tempos curtos

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
09/10/2020 - 13h59 - Atualizada em: 09/10/2020 - 14h15
Em 2020, o horário eleitoral das eleições municipais se estendem até o dia 12 de novembro
Em 2020, o horário eleitoral das eleições municipais se estendem até o dia 12 de novembro (Foto: Arquivo NSC)

Em bloco marcado pelo tempo curto da maioria dos candidatos, a estreia do horário eleitoral das eleições 2020 em Joinville não conseguiu se desvencilhar do roteiro das eleições anteriores: quem teve tempo suficiente, fez apresentação de sua história e adiantou propostas, ainda que vagamente; que tinha só alguns segundos, pediu para ser acompanhado nas redes sociais. Com tamanha fragmentação, as inserções distribuídas ao longo da programação vão ganhar ainda mais força.

> ​ Em site especial, saiba tudo sobre as Eleições 2020 em SC

> Eleições 2020: candidatos a prefeito de Joinville apresentam propostas para a saúde

O pessoal com pouco tempo de TV, o que era exceção em outras eleições, agora é a regra em Joinville. São 12 dos 15 candidatos a prefeito com direito a uma fatia em um bloco de dez minutos. Sete deles não chegam nem a 40 segundos, sendo quatro com até 15 segundos – o famoso limite de Enéas Carneiro na disputa presidencial de 1989.

Como foi um programa de largada, é tradição o conteúdo mais leve, com ataques deixados de lado. Nessa fase, é até natural os candidatos gastarem mais tempo contando o que fizeram do que adiantando o que pretendem fazer. Mas se o interesse for tirar os eleitores dessa apatia demonstrada até agora, será preciso mostrar mais na campanha eleitoral. Na lista abaixo, um resumo da estreia dos candidatos de Joinville no horário das 13h na TV (a relação acompanha a ordem de apresentação no bloco)

Anelísio Machado

Com o menor tempo, aproveitou para citar seu principal mote, a volta de uma “Joinville das oportunidades”. Com 12 segundos, não tinha muito mais o que fazer.

James Schroeder

O candidato conseguiu encaixar um currículo resumido e citou ter projetos para Joinville “virar a página”, uma forma elegante de prometer mudanças.

Adriano Silva

Como é comum aos candidatos do Novo, Adriano fez referências ao partido, apontando a necessidade de “novos caminhos”. Fez divulgação das redes sociais.

Darci de Matos

Dono do maior tempo, com 2min30s, Darci repetiu o que já é DNA em suas campanhas: a apresentação das origens e a trajetória inicial em Joinville. O programa foi marcado pela expressão “não ficar parado”. O ex-prefeito Wittich Freitag teve uma referência.

Nelson Coelho

O candidato da aliança que se chama "Joinville acima de Todos"– em uma referência óbvia a Bolsonaro – preferiu abordar o “descaso” existente em Joinville e pediu para ser seguido nas redes sociais.

Marco Aurélio Marcucci

Ex-delegado, o nome do Republicanos citou segurança e mudança como principais campos de atuação de sua campanha. Marcucci também lembrou de pedir votos para os candidatos a vereador do partido.

Ivandro de Souza

O candidato do Podemos fez sua estreia acompanhado de sua vice, Angélica Ponciano. O tema principal foi “ouvir todo mundo”, inclusive com pedido aos eleitores para envio de vídeos, uma inovação em relação aos antigos “fala povo” em tempos de pandemia e de redes sociais.

Mayara Colzani

A candidata do PSOL, com 15 segundos, fez a defesa dos trabalhadores e da juventude, um mote tradicional do partido. Também houve crítica ao “lucro”.

Fernando Krelling

O candidato do MDB usou a frase que utiliza sempre em suas manifestações, ter se “preparado para ser prefeito”. As referências à pavimentação e flores, por exemplo, mostram que Fernando vai manter a estratégia de certo descolamento da atual administração – não teve depoimento de Udo.

Francisco de Assis

O candidato do PT também dividiu a estreia com a vice, Antonia Grigol. A palavra “cuidado” com as pessoas foi um dos destaques. Foi feita referência rápida ao fato de uma administração petista ter feito obras e programas que “marcaram” a cidade.

Dalmo Claro

Com direito a um minuto, o candidato do PSL concentrou sua estreia na apresentação de sua trajetória como médico e a atuação na vida pública. Dalmo também citou as redes sociais.

Tânia Eberhardt

Candidata pelo Cidadania, Tânia lembrou ter administrado quatro secretarias e dois hospitais. A experiência balizou a estreia, com a alegação de que conhece a prefeitura “como poucos”.

Os partidos dos candidatos Adriano Mesnerovicz (Drico), do PSTU, Eduardo Zimmermann, filiado ao PTC, e Levi Rioschi (DC) não têm direito à participação nos blocos.

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas