nsc
    nsc

    AÇÃO NO TSE ESTÁ MANTIDA

    Livre de suspensão, Coelho fica mais perto de concorrer a prefeito de Joinville pelo PSB

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    06/02/2020 - 17h47 - Atualizada em: 07/02/2020 - 18h10
    Rodrigo Coelho já confirmado no comando do PSB de Joinville (foto: Luis Macedo, Câmara dos Deputados, Divulgação
    Rodrigo Coelho já confirmado no comando do PSB de Joinville (foto: Luis Macedo, Câmara dos Deputados, Divulgação

    Livre da suspensão imposta pelo PSB, Rodrigo Coelho pode permanecer no partido para concorrer a prefeito de Joinville neste ano. Para o deputado, há chance de entendimento com a legenda. “Está em análise a possibilidade de disputar a Prefeitura pelo PSB”, diz o deputado federal. Mas Coelho pretende manter a ação judicial apresentada ao TSE no qual solicitava autorização para deixar o PSB sem correr o risco de perder o mandato por infidelidade partidária. Ainda não há prazo para julgamento – de qualquer forma, mesmo que seja vitorioso no pedido à Justiça Eleitoral, Coelho não precisará necessariamente deixar a legenda.

    O deputado Coelho foi suspenso por 12 meses pelo PSB, a partir de agosto do ano passado. A punição, estendida a outros parlamentares do partido favoráveis à reforma, foi motivada pelo voto favorável dos deputados à reforma da Previdência. A penalidade impedia a participação de Coelho em comissões, por exemplo. Foi por causa dessa punição que Coelho foi ao TSE para tentar a saída do PSB.

    Na quarta-feira, a executiva nacional do PSB acabou com a suspensão aos deputados. A mesma decisão reconduziu Coelho à presidência do PSB em Joinville. O sistema de registro partidário do TSE já a aponta o deputado como presidente municipal.

    Com a possibilidade de acordo com o PSB, a candidatura de Coelho a prefeito fica mais perto de se efetivar, afinal, não há mais dependência de decisão judicial. O deputado esteve cotado para se filiar ao Podemos, PSL, DEM e PL e até ao futuro Aliança pelo Brasil. O PL de Jorginho Mello se mantém como favorito, caso o deputado deixe o PSB, hipótese agora mais improvável.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas