nsc
    nsc

    Operação Alcatraz

    Alesc vai decidir se Júlio Garcia continua preso e mantém mandato ainda nesta quinta-feira

    Compartilhe

    Upiara
    Por Upiara Boschi
    21/01/2021 - 11h26 - Atualizada em: 21/01/2021 - 15h29
    1o viceº-presidente da Alesc, Mauro de Nadal vai convocar sessão extraordinária para definir futuro de Júlio Garcia
    1o viceº-presidente da Alesc, Mauro de Nadal vai convocar sessão extraordinária para definir futuro de Júlio Garcia (Foto: Rodolfo Espínola, Agência AL/Divulgação)

    A Assembleia Legislativa vai decidir ainda nesta quinta-feira se o deputado estadual Júlio Garcia (PSD) permanece em prisão domiciliar e se será afastado do mandato parlamentar e da presidência da instituição - como determinou a juíza federal Janaína Cassol Machado no âmbito da Operação Alcatraz. A convocação extraordinária dos parlamentares foi definida após reunião de da mesa diretora convocada pelo 1º vice-presidente Mauro de Nadal (MDB) pela manhã.

    > Prisão de Julio Garcia deve ser submetida à votação dos deputados, segundo juíza da Alcatraz

    Assista

    > Entenda as acusações que motivaram a prisão do deputado Julio Garcia

    Os deputados terão como base o parecer elaborado pela Procuradoria da Alesc, cujo entendimento é de que a Constituição Estadual determina que qualquer sanção às prerrogativas dos parlamentares - e não apenas a prisão - precisa da confirmação em plenário. Em seu despacho, Janaína Machado Cassol aponta a necessidade da convocação dos deputados para avaliarem a manutenção da prisão preventiva, mas decidiu que apenas essa medida poderia ser revogada - não o afastamento da presidência e do próprio mandato.

    > Operação Alcatraz: os detalhes da investigação da Receita Federal que gerou a segunda fase

    Antes de ir a plenário, o parecer da Procuradoria será analisado e votado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que também será convocada extraordinariamente nesta tarde. Aprovado, o texto será transformado em decreto legislativo para ser submetido ao plenário, onde precisa ser aprovado pela maioria dos 40 parlamentares. A votação será aberta. 

    A tendência é de que a prisão e o afastamento de Júlio Garcia do mandato sejam rejeitados em plenário. Pela manhã, o deputado estadual Ivan Naatz, líder da bancada do PL, afirmou nas redes sociais que “é preciso bradar contra a prisão preventiva do presidente da Alesc, Júlio Garcia, pois ela é flagrantemente inconstitucional e arbitrária”.

    Em nota, a Alesc afirma que a decisão a ser tomada nesta quinta-feira "de manter ou revogar a decisão da juíza federal, não vai entrar no mérito do processo ou das investigações", mas apenas "deliberar sobre a preservação ou não das prerrogativas e garantias parlamentares, estabelecidas nos artigos 42 da Constituição estadual e 53 da Constituição Federal".

    Leia também:

    Operação Alcatraz: Pinho Moreira, ex-governador de SC, foi alvo de busca e apreensão

    PF indicia 10 pessoas em investigações sobre terceirização

    Delação de advogada contribuiu para avanço da operação Alcatraz

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas