nsc
    nsc

    Filiação

    Borba vai para o PSL e diz que partido "ficou com a cara de Moisés"

    Compartilhe

    Upiara
    Por Upiara Boschi
    19/11/2019 - 11h40
    Douglas Borba (à direita) esteve com governador Moisés na vistoria pública das obras da Ponte Hercílio Luz nesta terça-feira. Foto: Diórgenes Pandini
    Douglas Borba (à direita) esteve com governador Moisés na vistoria pública das obras da Ponte Hercílio Luz nesta terça-feira. Foto: Diórgenes Pandini

    O secretário estadual da Casa Civil, Douglas Borba, vai - finalmente - filiar-se ao PSL do governador Carlos Moisés. O ex-pepista chegou a anunciar o ingresso no partido em julho, na esteira da troca do comando da legenda, sob presidência estadual do deputado federal Fábio Schiochet. Depois, preferiu continuar sem filiação.

    Com o racha interno do partido e a decisão do presidente Jair Bolsonaro de deixar a sigla para criar o Aliança, Borba decidiu alistar-se oficialmente nas fileiras do governador. Assume, inclusive, a secretaria-geral do PSL-SC.

    - O partido está ficando com a cara do governador. Equilíbrio, responsabilidade e resultado. Este tripé é o lema do novo PSL de Santa Catarina - diz Borba, que deve se filiar ainda esta semana.

    O movimento avança a divisão interna da sigla. Dos quatro deputados federais e seis deputados estaduais eleitos pelo PSL em outubro do ano passado, apenas Schiochet não manifestou desejo de acompanhar o presidente Bolsonaro em sua nova legenda.

    - Continuamos apoiando o presidente Bolsonaro, que faz um governo reformista. Nosso discurso não mudou, o que mudou é que o presidente escolheu sair do partido - diz Borba.

    O futuro secretário-geral do PSL-SC não quis comentar como será a convivência com os pessedistas dissidentes até a formação oficial do Aliança. Borba diz que a meta é avançar na construção do PSL para as eleições do ano que vem, inclusive com a filiação de prefeitos considerados alinhados.

    - O PSL continua sua construção independentemente dos parlamentares que manifestaram desejo de deixar o partido.

    A conversa com Borba aconteceu durante a vistoria das obras da Ponte Hercílio Luz em que o governador Carlos Moisés recebeu a imprensa para detalhar como será a reinauguração do equipamento dia 30 de dezembro. Perguntado se era mais fácil terminar a Hercílio Luz ou unificar o PSL, Moisés riu e evitou a resposta:

    - Essa eu vou deixar para depois. Vamos falar de coisa boa hoje.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas