nsc
    nsc

    Disputa

    De olho nas maiores cidades, Podemos avalia ter candidato a prefeito em Florianópolis

    Compartilhe

    Upiara
    Por Upiara Boschi
    02/01/2020 - 13h58 - Atualizada em: 02/01/2020 - 14h45
    Candidato à presidência em 2018, o senador Álvaro Dias participou do evento do Podemos realizado no fim de dezembro em Florianópolis. Foto: Divulgação
    Candidato à presidência em 2018, o senador Álvaro Dias participou do evento do Podemos realizado no fim de dezembro em Florianópolis. Foto: Divulgação

    Herdeiro natural de boa parte das lideranças que deixaram ou pretendem deixar o PSB catarinense, o Podemos do senador Álvaro Dias (Paraná), vai acelerar o processo de consolidação em 2020 mirando candidaturas a prefeito em grandes cidades do Estado. Esse é o indicativo do ex-deputado federal Paulo Bornhausen, que lidera nos bastidores a construção da legenda em Santa Catarina.

    O Podemos quer ter candidato a prefeito em Joinville e Blumenau, além de não descartar Florianópolis. No caso da Capital, o grupo que assume o partido conta com dois vereadores - Gabrielzinho e Ed Pereira (ambos ainda filiados ao PSB) - e tem proximidade com o prefeito Gean Loureiro (DEM).

    - Temos duas possibilidades em Florianópolis. Um grupo defende que estejamos com Gean e outro defende a candidatura própria. Tivemos em 2016 uma experiência muito boa com a candidatura do Murilo Flores (pelo PSB), quando tivemos um bom desempenho e isso não impediu a eleição de vereadores - afirma Paulo Bornhausen.

    O nome para disputar Florianópolis pelo Podemos seria o de Marcelo Fett, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Palhoça e ligado à área de inovação. Bornhausen diz que se compuser com Gean, o partido vai pedir a vaga de vice-prefeito - hoje ocupada por João Batista Nunes, do PSDB.

    Em Joinville e Blumenau, o Podemos aguarda definições. Sem partido, o prefeito blumenauense Mário Hildebrant (ex-PSB) tem conversas adiantadas para voltar a time - agora sob nova legenda. Na cidade do Norte do Estado, o partido aguarda também o desfecho da disputa judicial entre o deputado federal Rodrigo Coelho e o PSB nacional. Se o parlamentar conseguir no Tribunal Superior Eleitoral o direito de deixar a sigla sem perder o mandato, o Podemos é uma das opções para disputar a prefeitura joinvilense. Além esperar por ele, o partido filiou o empresário Ivandro de Souza (ex-PSDB) e o apresentou como pré-candidato a prefeito.

    O Podemos também mira outras cidades de peso. Em Criciúma, tem conversas adiantadas com o coronel Cosme Manique Barreto, comandante da Polícia Militar na região, para que seja o candidato a prefeito do partido. Em São José, anunciou a filiação de Hélio Costa Júnior, filho do deputado federal Hélio Costa (Republicanos). Na cidade de Lages, conta com o vereador Jair Júnior (ainda no PSD). Em Balneário Camboriú espera a filiação do prefeito Fabrício de Oliveira, outro que se elegeu pelo PSB quando o partido estava ligado ao grupo de Bornhausen.

    - O caminho de montagem do Podemos é mais promissor do que foi o do PSB. Tem mais aderência, tem mais a ver com a cultura local. O Podemos vai ser um partido de centro, com independência, bem postado nacionalmente. Em Santa Catarina estará muito presente nos grandes e médios municípios nesta primeira eleição - diz o ex-deputado, que não integra oficialmente a direção do partido no Estado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas